Alex Leko começa bem, mas comete erros e acaba derrotado por rival no UFC Las Vegas 56

Brasileiro faz luta equilibrada e perde ponto, que faz a diferença na contagem dos juízes em revés contra Joe Solecki no card preliminar

A. Leko perdeu para J. Solecki no UFC Las Vegas 56. Foto: Reprodução/Twitter @ufc

Primeiro brasileiro em ação neste sábado (4) e único representante do país no card preliminar do UFC Las Vegas 56, Alex Leko mediu forças contra Joe Solecki e saiu derrotado na decisão majoritária dos juízes. Diante do norte-americano, o brasileiro teve bom início, mas perdeu ponto e não teve tempo de mudar o resultado.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Leko soma quatro apresentações no Ultimate, mas venceu apenas uma luta. Profissional desde 2014, o brasileiro tem um histórico de 21 triunfos e quatro reveses e ainda não conseguiu se encontrar na organização.

Solecki, por sua vez, volta a vencer. O norte-americano, que havia sido derrotado em luta apertada contra Jared Gordon, sai com os ‘braços erguidos’ na primeira apresentação em 2022. Em sua carreira, são 12 resultados positivos e três negativos.

PUBLICIDADE:

A Luta

No início do duelo, Solecki e Leko trocaram golpes na curta distância e o brasileiro conseguiu desferir um soco que fez o norte-americano cair. Alex caiu por cima e trabalhou cotoveladas e socos perigosos para pontuar. Joe ainda conseguiu achar uma guilhotina, mas viu seu adversário fazer bem a defesa.

O segundo assalto foi marcado pelo amplo domínio no jogo de Solecki, que conseguiu a queda e chegou, com facilidade, às costas de Leko. O brasileiro, no entanto, resistiu bem até o final do round. Alex ainda perdeu ponto por segurar dentro da luva do adversário.

PUBLICIDADE:

Disposto a ir para o ‘tudo ou nada’ e decidir sua vitória no terceiro round, Alex combinou bons golpes, defendeu uma queda de Joe e seguiu marchando para frente com sequências na curta distância. Nos últimos minutos, o catarinense aplicou uma queda e, na guarda, seguiu até o final – mas não conseguiu reverter o placar dos juízes.

PUBLICIDADE:

Tony Gravely vai bem e aplica nocaute brutal contra Johnny Muñoz no primeiro round

Tony Gravely aplicou nocaute brutal no UFC Vegas 46. Foto: Reprodução/Instagram

Tony Gravely teve um ‘trabalho rápido’ em combate diante de Johnny Muñoz no card preliminar. Apesar de início morno, o norte-americano jogou o direto e frustrou a tentativa de quedas do compatriota com um gancho de encontro para nocautear brutalmente no primeiro round.

Agora, Gravely se mantém como bom prospecto dos galos (até 61,2kg.) e coleciona, em sua caminhada, 11 resultados positivos e um negativo. Mais experiente, Muñoz conta com 22 triunfos e sete reveses.

Rinat Fakhretdinov domina, vence Andreas Michailidis e estreia com vitória no UFC

R. Fakhretdinov (esq.) domina e vence A. Michailidis (dir.) no UFC Vegas 56. Foto: Reprodução/Instagram @ufc_brasil

A estreia de um atleta do UFC pode ser marcada por grande expectativa e nervosismo em busca de uma boa apresentação. Mas, para Rinat Fakhretdinov, a frieza foi predominante. O russo mostrou amplo domínio na luta agarrada para superar Andreas Michailidis com facilidade na decisão unânime dos juízes.

Talento russo, Fakhretdinov enfim fez seu debute e ampliou sua série para 15 resultados positivos seguidos. Com base no grappling, o lutador tem 21 vitórias e duas derrotas em sua trajetória.

Michailidis também não consegue se recuperar de nocaute sofrido para Alex Poatan em novembro de 2021 e se complica na organização. O grego perdeu três de quatro apresentações na empresa e passa a correr risco de demissão. Ele tem um retrospecto de 13 triunfos e seis reveses.

Lutadora mais jovem do card, Erin Blanchfield finaliza JJ Aldrich em pé

E. Blanchfield (dir.) finalizou J. Aldrich (esq.) com uma guilhotina. Foto: Reprodução/Instagram @ufc_brasil

Foi no talento. Lutadora mais jovem do evento, Erin Blanchfield mostrou qualidade no jiu-jitsu para finalizar JJ Aldrich em pé, com uma guilhotina. Aos 23 anos, a norte-americana fazia jogo equilibrado em pé e soube aproveitar brecha da compatriota. O duelo foi o primeiro do card preliminar.

Blanchfield, com isso, segue em boa sequência e ainda não perdeu desde que assinou com a organização. Profissional desde 2017, ela soma oito triunfos – sendo seis seguidas e três no Ultimate – e um revés.

Já Aldrich tem a sequência de três triunfos em série quebrada sente o ‘sabor amargo’ da quinta derrota na carreira. Ela também tem outras 11 vitórias.

Resultados do UFC Las Vegas 56

CARD PRINCIPAL

Peso pesado (até 120,2kg.): Alexander Volkov derrotou Jairzinho Rozenstruik por nocaute técnico a 2m12s do R1

Peso pena (até 65,7kg.): Movsar Evloev derrotou Dan Ige na decisão unânime dos juízes (30-27, 30-26, 30-27)

Peso pena (até 65,7kg.): Lucas Almeida derrotou Mike Trizano por nocaute técnico a 55seg. do R3

Peso mosca (até 56,7kg.): Karine Silva finalizou Poliana Botelho com um triângulo de mão a 4m55s do R1

Peso mosca (até 56,7kg.): Ode Osbourne derrotou Zarrukh Adashev por nocaute a 1m01s do R1

Peso meio-pesado (até 93kg.): Alonzo Menifield derrotou Askar Mozharov por nocaute técnico a 4m40s do R1

CARD PRELIMINAR

Peso palha (até 52,1kg.): Karolina Kowalkiewicz finalizou Felice Herrig com um mata-leão a 4m01s do R2;

Peso leve (até 70,3kg.): Joe Solecki derrotou Alex Leko na decisão majoritária dos juízes (28-27, 28-28, 29-27)

Peso pena (até 65,7kg.): Damon Jackson derrotou Daniel Argueta na decisão unânime dos juízes (30-27, 29-28, 30-27)

Peso meio-médio (até 77kg.): Benoit St. Denis finalizou Niklas Stolze com um mata-leão a 1m32s do R2

Peso galo (até 61,2kg.): Tony Gravely derrotou Johnny Muñoz por nocaute a 1m08s do R1;

Peso mosca (até 56,7kg.): Jeff Molina derrotou Zhalgas Zhumagulov na decisão dividida dos juízes (29-28, 28-29, 30-27)

Peso meio-médio (até 77kg.): Rinat Fakhretdinov derrotou Andreas Michailidis na decisão unânime dos juízes (30-26, 30-27, 30-26)

Peso mosca (até 56,7kg.): Erin Blanchifield finalizou JJ Aldrich com uma guilhotina no R2

Podcast #67: Durinho fez o pix para Yanex após nocaute em lutador que falou mal do Brasil + UFC Austin: card do ano