Wanderlei Silva recebe banimento vitalício e não poderá mais lutar em Las Vegas

Brasileiro, que recentemente anunciou sua aposentadoria, também levou uma multa de US$ 70 mil por fuga de exame

Wand (foto) foi banido de Las Vegas. Foto: Josh Hedges/UFC

Wand (foto) foi banido de Las Vegas. Foto: Josh Hedges/UFC

A fuga de um exame antidoping custou muito caro a Wanderlei Silva. Em audiência realizada pela Comissão Atlética de Nevada nesta terça-feira (23), o brasileiro recebeu um banimento vitalício e uma multa de US$ 70 mil. Isso significa que Wanderlei nunca mais irá receber uma licença para lutar em Las Vegas (EUA), considerada a principal cidade do mundo em termos de lutas

ATUALIZAÇÃOBanido, Wanderlei Silva agradece a fãs e garante: ‘A guerra só está começando’.

Como o UFC tem a Comissão de Nevada como o principal órgão regulamentador de lutas, o brasileiro provavelmente jamais será escalado para um combate dentro do octógono novamente.

LEIA TAMBÉM:
Jones e Cormier são punidos por briga durante coletiva
Weidman quebra a mão e adia combate contra Belfort para fevereiro
UFC age rápido e confirma Hendricks x Lawler 2 para UFC 181
Após derrota em Brasília, Pezão passa por cirurgia para tirar tumor

Wanderlei recentemente anunciou sua aposentadoria do MMA. A oficialização da punição diminui ainda mais as chances de o brasileiro voltar a lutar. Ross Goodman, advogado de Wand, disse ao jornalista Brett Okamoto, da “ESPN”, que irá recorrer da decisão.

Relembre o caso

Em maio, Wanderlei se negou a fazer um exame antidoping surpresa como preparativo para a luta que faria contra Chael Sonnen no UFC 175, em julho. Na época, Wanderlei disse que não havia compreendido as intenções do funcionário da comissão, alegando que ficou confuso com os papéis em inglês.

Dias mais tarde, em julgamento da NSAC, Wand mudou sua versão e alegou que se negou a fazer o exame pois havia tomado diuréticos, uma substância proibida, a fim de ter uma recuperação mais rápida de uma lesão que sofreu na briga com Sonnen nas gravações do TUF Brasil.

Com isso, iniciou-se uma briga entre os representantes de Wanderlei e a Comissão de Nevada. Advogado de Wand, Goodman alegou que a NSAC não tinha autoridade para punir o brasileiro, já que o lutador não estava licenciado pela entidade quando foi requisitado o exame antidoping surpresa. A comissão, em contrapartida, alegou que Wand estava confirmado em um evento de Las Vegas, e, por isso, deveria fornecer qualquer tipo de amostra quando solicitado. A NSAC acrescentou que viu o episódio como uma tentativa do lutador em “trapacear sem repercussões”.

Ouça: Podcast Super Lutas analisa UFC Japão 2014 e a derrota de Roy Nelson para Mark Hunt
[wpdm_file id=23]

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments