Werdum rejeita favoritismo, mas já pensa na festa para vitória sobre Hunt

Brasileiro explica estratégia para combate contra neozelandês e projeta unificação do cinturão em 2015

F. Werdum (foto) encara M. Hunt no dia 15 de novembro. Foto: Josh Hedges/UFC

F. Werdum (foto) encara M. Hunt no dia 15 de novembro. Foto: Josh Hedges/UFC

Fabrício Werdum está a poucos dias da luta mais importante de sua carreira no UFC, que será no próximo sábado (15), na Cidade do México, quando enfrentará Mark Hunt pelo cinturão interino dos pesados. E, apesar de ser considerado por muitos o favorito absoluto para o combate, o brasileiro se mostrou tranquilo e preparado para o compromisso.

Werdum é a aposta para o combate de alguns dos nomes de destaque da categoria dos pesados do Ultimate, como o campeão linear, Cain Velasquez, e Alistair Overeem, que já teve a oportunidade de enfrentar os dois atletas no passado. Mesmo assim, o brasileiro rejeita a posição de favorito.

“Eu não ponho na minha cabeça que eu sou o favorito. Não gosto disso. A pressão existe quando você não está treinado ou está lesionado e tem que lutar. Quando você está treinado, preparado, a pressão não existe. Eu nunca fui o favorito. Sempre fui a zebra e sempre mostrei que, quando ninguém acredita, eu vou lá e provo o contrário”, explicou Werdum, em entrevista ao site do canal “Combate”.

MAIS SOBRE O UFC 180:
– Overeem aposta em Werdum, mas avisa: ‘Com Hunt é luta fácil’
– Hunt promete vitória fácil: ‘Nocaute no primeiro round’
– Velasquez vê vantagem de Werdum em luta pelo cinturão interino

Apesar de não se ver como o favorito para o combate, Werdum admite que já pensa na comemoração pós-luta, o que incluiria uma grande festa em sua terra natal, o Rio Grande do Sul. “Eu tenho muito orgulho de dizer que sou brasileiro e gaúcho. A primeira coisa que vou fazer quando ganhar o cinturão é ir para Porto Alegre comemorar com a torcida do Grêmio. Tenho uma relação muito boa com eles e já me disseram que vão fazer uma recepção bem grande aeroporto, com uma carreata até a Arena do Grêmio com carro do Corpo de Bombeiros e tudo. Vai ser bem legal. Vou ser o primeiro gaúcho campeão do mundo. E não importa que seja título interino”, comentou o atleta, que também já projeta a unificação de cinturão contra Velasquez. “A luta da unificação, contra o Velasquez, vai ser aqui mesmo, no México, em julho ou agosto de 2015, porque ficaram devendo essa presença do Velasquez aqui.”

Estratégia é cansar Hunt e atacar depois do primeiro round

Para derrotar Hunt e conquistar o título interino do UFC, Werdum já tem em mente o roteiro que precisará seguir. O brasileiro conta que será fundamental conter o ímpeto do neozelandês no início do combate, cansando o rival e buscando definir a luta após o primeiro round.

“Em vez de defender as quedas, eu vou ter que derrubar o Mark Hunt, botar ele para o chão quando tiver oportunidade. Claro que não vai ser no começo, porque ele vai estar muito arisco, preparado para a botada para baixo. A estratégia que estamos traçando é manter a distância e ter cuidado com uppercuts e combinações de cruzados e diretos, que ele faz muito. Quero fazê-lo queimar os golpes, fazendo muita finta e movimentação para cansá-lo e, no segundo ou terceiro round, ou até onde ele aguentar, pegá-lo e tentar levar a luta para o chão, ou tentar uma surpresa como um chute alto ou uma joelhada. Ele já está com 40 anos, vamos ver”, explicou o brasileiro.

A luta entre Fabrício Werdum e Mark Hunt será a atração principal do UFC 180. O brasileiro vem de quatro vitórias seguidas no octógono, derrotando nomes como Roy Nelson, Rodrigo Minotauro e Travis Browne. Já Hunt vem de vitória por nocaute contra o mesmo Nelson em setembro, no Japão.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments