Top 5 SUPER LUTAS: as melhores finalizações de 2014

Saunders, Curran, Toquinho, Rockhold e Do Bronx brilharam com o jogo de chão no MMA durante o ano

Saunders ficou com o primeiro lugar na lista de finalizações do ano do SUPER LUTAS. Foto: Divulgação/UFC

Saunders ficou com o primeiro lugar na lista de finalizações do ano do SUPER LUTAS. Foto: Divulgação/UFC

Os fãs de MMA mais chegados ao jogo de chão tiveram muito material para apreciar em 2014. O ano teve finalizações de todos os tipos, muitas delas em lutas de grande repercussão, de modo que o material foi vasto e difícil para a seleção de quais foram as melhores no quesitos durante o ano.

Veja Também

RETROSPECTIVA 2014: Janeiro a abril – o ano começa turbulento para o UFC

Assim, o SUPER LUTAS elencou algumas das principais finalizações do ano, sendo que algumas delas não poderiam ficar de fora e enfraram como menções honrosas. Confira a lista completa:

1: Ben Saunders x Chris Heatherly

Saunders se tornou o primeiro a finalizar com uma omoplata no UFC. Foto: Divulgação

Saunders se tornou o primeiro a finalizar com uma omoplata no UFC. Foto: Divulgação

O UFC completou 20 anos em 2013, sendo que vários grandes nomes do jiu-jitsu marcaram presença dentro do octógono. Mesmo assim, havia uma marca que ainda estava para ser quebrada, já que nenhuma luta sequer havia sido encerrada através de uma omoplata.

O tabu chegou ao fim em agosto, quando Ben Saunders retornou ao UFC após quatro anos derrotando Chris Heatherly com o golpe. Ainda na primeira metade do primeiro round, “Killa B” aplicou uma justa omoplata no rival, o que fez com que o norte-americano entrasse para a história do Ultimate.

2: Pat Curran x Daniel Straus

“Só acaba quando termina”. O ditado pode ser perfeitamente aplicado na trilogia entre Pat Curran e Daniel Straus, em março, no combate válido pelo cinturão dos penas do Bellator.

O combate não estava nada fácil para Curran, já que ele claramente havia perdido pelo menos três dos quatro rounds que haviam sido realizados até então. Porém, nos instantes finais da luta, a menos de 20 segundos para o gongo soar, Curran encaixou um mata-leão certeiro, o que obrigou Straus a dar os três tapinhas e ser destronado no Bellator.

3: Rousimar Toquinho x Jon Fitch

Rousimar Toquinho é um caso a se estudar no mundo do MMA moderno. Mesmo que todos saibam que sua principal arma é a chave de calcanhar/tornozelo, o brasileiro ainda consegue enfileirar oponentes com o mesmo movimento, todos sendo obrigados a desistir rapidamente com o golpe “no pau”. A mais recente vítima foi o veteraníssimo Jon Fitch, que, mesmo sendo considerado “infinalizável” há pouco tempo, sucumbiu diante de Toquinho com menos de dois minutos de combate no WSOF 16, em dezembro.

4: Luke Rockhold x Tim Boetsch

Em abril, no UFC 172, Luke Rockhold provou de vez que é um lutador completo. Poucos meses após trucidar Costas Philippou em pé, o norte-americano aplicou uma finalização traiçoeira sobre Tim Boetsch e conquistou a segunda de três vitórias que viria a conquistar no Ultimate em 2014.

Para submeter o oponente, Rockhold aplicou não só um, mas dois golpes: um triângulo invertido, que apertava o pescoço e atrapalhava a circulação de ar/sangue na cabeça, e uma kimura no braço direito. Sem alternativas, Boetsch deu os três tapinhas, incrédulo com o que acabara de acontecer.

5: Charles do Bronx x Hatsu Hioki

A luta, que fez parte do card da primeira visita do UFC à Nova Zelândia, foi um colírio para os olhos dos fãs de jiu-jitsu. Dois dos melhores atletas de chão da divisão dos penas fizeram um combate muito movimentado, com tentativas de finalização de ambas as partes. Assim, o desfecho não poderia ser diferente.

No segundo round, Do Bronx aplicou uma variação do anaconda choke, já que, em vez de fugir para o lado, como normalmente acontece, o brasileiro puxou para sua guarda. Hioki, que nunca havia sido finalizado até então, foi obrigado a ceder pela primeira vez em sua carreira.

Menções honrosas:

Durinho (foto) levantou a galera no Maracanãzinho com vitória sobre Giagos. Foto: Divulgação/UFC

Durinho (foto) levantou a galera no Maracanãzinho com vitória sobre Giagos. Foto: Divulgação/UFC

Ovince St. Preux x Nikita Krylov: Em sua terceira luta no UFC, OSP aplicou uma justa chave de ombro, também chamada de Von Flue Choke, o que botou o jovem ucraniano Krylov para dormir.

Gilbert Durinho x Christos Giagos: O parceiro de treinos de Vitor Belfort mostrou por que tem um dos jogos de chão mais temidos dos leves. O brasileiro encaixou um armlock rápido e certeiro em Giagos, vencendo sua segunda seguida no UFC diante de sua torcida no Rio de Janeiro.

Alex Caceres x Sergio Pettis: O irmão mais novo do campeão dos leves do UFC sofreu sua primeira derrota na carreira de forma dolorosa. O “Fenômeno” fazia luta parelha contra o veterano Caceres, mas foi finalizado com um mata-leão nos segundos finais do combate.

Anthony Pettis x Gilbert Melendez: O campeão dos leves mostrou mais uma vez que é um lutador imprevisível. Acostumado a nocautear de forma dura seus oponentes, Pettis surpreendeu ao finalizar Melendez em uma guilhotina, se tornando o primeiro a fazer “El Niño” dar os três tapinhas.

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments