Ex-campeão admite uso de anabolizantes no UFC e PRIDE

Vencedor dos torneios dos UFCs 14 e 15, Mark Kerr falou sobre abuso de substâncias banidas durante sua carreira no MMA em documentário

M. Kerr foi campeão no UFC, mas também marcou época no PRIDE. Foto: Reprodução

M. Kerr foi campeão no UFC, mas também marcou época no PRIDE. Foto: Reprodução

Em seu auge no MMA, entre o final dos anos 90 e no início dos anos 2000, o norte-americano Mark Kerr foi um dos lutadores que mais levantou suspeitas sobre o uso de substâncias ilegais, devido a sua forma física gigantesca. Porém, finalmente, após tantos anos, Kerr assumiu ter feito uso de anabolizantes tanto quando foi campeão dos torneios de pesos pesados do UFC quanto nos tempos do extinto evento japonês PRIDE.

Veja Também

Após assédio, dupla de lutadoras do UFC aplica surra e ‘dá lição’ a agressor
Dana White diz que UFC trabalha para promover evento em Cuba
Família de Ronda leiloa carro onde campeã do UFC morou por R$ 40 mil
Musas do UFC, Miesha Tate e Holly Holm seguem passos de Ronda vão estrelar filme
UFC anuncia ‘pacotão’ com dez demissões, incluindo amiga de Ronda Rousey

“Naquela época ninguém sabia o que era o UFC direito. E parte do que eu fiz, diante da incerteza, foi: ‘Eu vou ficar tão grande e forte quanto for possível’. (…) E então eu tive minha primeira experiência com esteroides anabolizantes. Na minha primeira luta no Brasil (estreia no MMA, no World Vale Tudo Championship), estava sob uma dose pequena de anabolizantes. Nas minhas primeiras lutas no UFC, estava com mais ou menos 125kg e 5% de gordura corporal, eu mal cabia em um carro pequeno”, revelou Kerr, em entrevista a um documentário sobre sua carreira.

O documentário, intitulado “Mark Kerr”, foi produzido pelo diretor Bobby Razak e veiculado no YouTube. Em seus depoimentos, Kerr ainda falou sobre o abuso de outras substâncias, como analgésicos e estimulantes – no caso, Vicodin e cocaína. Além disso, o ex-lutador contou que seu fígado chegou a estar oito vezes maior do que deveria devido ao abuso de drogas para aumento de performance (PEDs).

Mas as revelação de Kerr não se resumiram somente à chamada “Era das Trevas do UFC” (antes da aquisição do evento pela Zuffa, empresa que comanda a organização até hoje). O norte-americano também falou sobre o uso de substâncias para aumento de desempenho no extinto evento japonês PRIDE, que durante sua existência conviveu com inúmeras denúncias de conivência com o doping, tema que voltou à pauta no ano passado após os relatos de outro ex-atleta do evento, o japonês Enson Inoue.

“No Pride, eles não se importavam muito com o que você tomava. Eles queriam que você parecesse forte, que lutasse bem, mas não ligavam se você acabava tomando X, Y ou Z para entrar no ringue. Eles nunca questionaram a pressão no meu sangue, nem se eu estava muito ou pouco pesado. Só queriam o produto final e isso era tudo”, declarou, reforçando as denúncias feitas por Inoue.

Hoje com 46 anos, Mark Kerr encerrou sua carreira profissional no MMA com um cartel de 15 vitórias, onze derrotas e uma luta sem resultado. Kerr teve uma carreira de sucesso no wrestling universitário e conquistou o título da NCAA em 1992, batendo ninguém menos que Randy Couture na decisão. “Máquina de Esmagar”, como era conhecido, foi campeão dos torneios de pesos pesados do UFC 14 e 15.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments