Insatisfeito, Wanderlei se oferece para trabalhar com Comissão de Nevada

Veterano brasileiro acredita que lutadores não são tratados com o devido respeito pela entidade norte-americana após decisões controversas

Wand (foto) virou "inimigo número um" do UFC desde sua aposentadoria. Foto: Josh Hedges/UFC

Wand (foto) virou “inimigo número um” do UFC desde sua aposentadoria. Foto: Josh Hedges/UFC

Wanderlei Silva voltou a criticar a Comissão Atlética de Nevada por algumas das decisões que tem tomado recentemente e afirmou que a entidade não tem dado aos lutadores o respeito necessário e merecido.

Veja Também

Wand passará por novo julgamento em Nevada no fim do mês
Diaz recebe cinco anos de suspensão por doping em luta contra Anderson
GSP defende Diaz: ‘Quiseram fazer dele um exemplo’
Revoltado com caso Diaz, Cejudo de nega a lutar em Nevada
Ronda parte em defesa do amigo Nick Diaz: ‘Muito injusto’

Os comentários do brasileiro usam como gancho a controversa punição dada a Nick Diaz, que deverá ficar cinco anos afastado das lutas por ter sido flagrado pela terceira vez com maconha. A pena foi considerada pesada demais na comunidade do MMA, sendo que muitos atletas prestaram seu apoio público ao norte-americano.

Wanderlei também enfrentou problemas com a Comissão de Nevada no passado. Em 2014, foi banido de forma vitalícia nas competições sancionadas pela entidade por ter se recusado a fazer um exame antidoping surpresa. Porém, o brasileiro recorreu e deverá passar por novo julgamento no fim do mês.

Assim, o ex-campeão do PRIDE gravou um vídeo no qual se ofereceu para trabalhar com a Comissão de Nevada, a fim de facilitar a relação entre ela e os atletas. “Essa Comissão deveria ter um atleta profissional trabalhando por lá. Eu estou disponível para trabalhar junto da Comissão para criar leis claras e que deem aos lutadores o respeito merecido. Os atletas merecem mais respeito”, comentou.

“A Comissão tem cometido muitos erros. Ela não deveria ser permitida a punir alguém desse jeito, especialmente por tanto tempo assim. Isso praticamente acaba com a carreira de um lutador. Está muito nebuloso e pouco claro. Um cara recebe um ano, outro recebe dois anos. Eu tive que apelar na Justiça e estou gastando muito dinheiro com advogados para me defender. Eu nunca testei positivo para nada. Sempre fui um lutador limpo e eles querem me banir do esporte. Como isso funciona?”, continuou o brasileiro, de 39 anos de idade.

Confira o vídeo publicado por Wanderlei Silva:

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments