Ano de 2016 é marcado por tragédias no MMA; relembre os casos

Pelo menos seis atletas profissionais, mais um árbitro brasileiro, perderam suas vidas de maneira trágica no primeiro semestre

R. Jimmo foi morto após um atropelamento intencional no Canadá

R. Jimmo foi morto após um atropelamento intencional no Canadá

O primeiro semestre de 2016 vem sendo marcado por diversas tragédias envolvendo figuras do MMA brasileiro e internacional. Pelo menos seis lutadores profissionais de eventos de destaque, mais um árbitro brasileiro, perderam suas vidas de maneira inesperada nos primeiros meses do ano.

Em janeiro, o árbitro Alessandro Souza, de 46 anos, morreu após sofrer um acidente de moto no Rio de Janeiro. Na ocasião, Souza, que também atuava no Jungle Fight, perdeu o controle de sua moto e chocou-se contra uma árvore, falecendo poucas horas depois. Ele deixou esposa e um filho de apenas três anos.

No mês seguinte, o ex-campeão do UFC Kevin Randleman, de 44 anos, faleceu após complicações a uma pneumonia nos Estados Unidos. “O Monstro”, como era conhecido, já havia enfrentado nomes como Fedor Emelianenko, Mirko Cro Cop, Maurício Shogun, Chuck Liddell, Pedro Rizzo, entre outros.

Veja Também

Ex-lutador do UFC, Ryan Jimmo morre após discussão de trânsito no Canadá
Mundo do MMA reage com revolta à morte de Jimmo
Lutador do Bellator, Kimbo Slice morre aos 42 anos de idade
Lutador atropelado não resiste e morre nos EUA
Lutador morre após sofrer nocaute para parceiro de McGregor

Em abril, uma outra tragédia teve ligação direta com a prática das lutas de MMA. O português João Carvalho faleceu dias depois de sofrer um nocaute no evento Total Extreme Fighting, na cidade de Dublin, na Irlanda. Carvalho, que tinha somente 28 anos, não resistiu aos problemas no cérebro que apresentou logo após o combate.

Em maio, o lutador do Bellator Jordan Parsons, que tinha luta marcada para o mesmo mês, perdeu a vida de forma trágica após ser atropelado em Delray Beach, nos Estados Unidos. Parsons caminhava durante a madrugada quando foi atingido por um carro na faixa de pedestre. O motorista fugiu sem prestar socorro, e o lutador faleceu dias depois.

Junho, por enquanto, já vitimou três atletas de maneira impactante. O primeiro foi Kimbo Slice, ex-UFC e que atualmente competia no Bellator. Nascido nas Bahamas, o lutador enfrentou problemas cardíacos e, enquanto esperava por um transplante, faleceu em um hospital na Flórida (EUA).

Poucos dias mais tarde, foi a vez de Ivan Cole, também do Bellator, falecer na cidade de Dallas. Segundo suspeita da polícia local, o lutador morreu baleado devido a uma brincadeira de roleta russa. O lutador tinha 25 anos e deixou uma esposa e uma filha de quatro anos.

No último domingo (26), o ex-lutador do UFC Ryan Jimmo morreu depois de sofrer um atropelamento intencional instantes após uma discussão de trânsito. O incidente aconteceu na cidade de Edmonton, no Canadá, e a polícia ainda procura pelos suspeitos do crime.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments