Cinco motivos para assistir o UFC 205 neste sábado

Entre no clima do UFC 205 e saiba porque você não pode deixar de acompanhar

Alvarez (esq) e Conor (dir) se enfrentam na luta principal UFC 205. (Foto: Getty Images)

Alvarez (esq) e Conor (dir) se enfrentam na luta principal UFC 205. (Foto: Getty Images)

O Ultimate desembarca pela primeira vez em Nova York, Estados Unidos, para o UFC 205, evento que acontece neste sábado (08), e contará pela primeira vez com três disputas de cinturão no mesmo card, além da presença de três ex-campeões e três brasileiros.

Veja Também

Palpites: UFC 205 – Eddie Alvarez x Conor McGregor
McGregor entra como favorito para duelo contra Alvarez no UFC 205

Na atração principal do show, Eddie Alvarez e Conor McGregor disputam o cinturão peso leve do UFC, enquanto o peso meio-médio Tyron Woodley colocará seu título em jogo pela primeira vez contra Stephen Thompson, na segunda luta mais importante do show. Na primeira disputa de cinturão da noite, a polonesa Joanna Jędrzejczyk encara sua compatriota  Karolina Kowalkiewicz.

Para você entrar no clima do UFC 205, o SUPER LUTAS preparou cinco motivos para você assistir o evento.

1 – McGregor fará história ou Alvarez roubará a cena? 

Conor McGregor conseguiu! Depois de tanto insistir, o falastrão convenceu Dana White, presidente do UFC, a lhe dar uma chance de disputar o cinturão da categoria dos leves, mesmo sendo o campeão linear dos pesos penas. Seu oponente será o norte-americano Eddie Alvarez, que tomou o cinturão de Rafael dos Anjos, em julho deste ano.

Você pode até não gostar do estilo provocador e até muitas vezes irritante de McGregor, porém não há como negar que o irlandês é um lutador especial. Não só pela sua capacidade absurda de promover e vender suas lutas, mas também pela forma que consegue cumprir, dentro do octógono, o que promete fora dele. O nocautes avassaladores sobre Dustin Poirier, Dennis Siver, Chad Mendes e José Aldo, somado ao triunfo por pontos sobre Nate Diaz, mostra o quanto Conor é, sim, um integrante da elite.

Alvarez, diferentemente de Conor, era “apenas mais um” na disputadíssima categoria dos leves, embora tenha desembarcado no UFC com o status de campeão do Bellator. Após estrear com derrota frente a Donald Cerrone, Alvarez se recuperou e conseguiu duas importantes vitórias sobre Gilbert Melendez e o ex-campeão Anthony Pettys, o suficiente para lhe dar uma chance pelo cinturão, conquistado posteriormente, como já citado há pouco.

Essa será a primeira luta de McGregor entre os leves, portanto fica a dúvida em saber como o campeão dos penas irá se portar no novo peso. Para Eddie, a responsabilidade de defender seu cinturão pela primeira vez. Quando a grade do octógono fechar, uma questão será respondida. Qual será o fiel da balança: o jogo em pé de McGregor ou a superioridade no solo de Alvarez?

De qualquer forma, independente do resultado, uma certeza nós já temos: a luta principal do UFC 205, em Nova York, certamente entrará para história como uma das mais importantes de todos os tempos.

2 – Mais dois cinturões em jogo

Cinturões dos meio-médios e peso palha também estarão em jogo. (Foto: Divulgação)

Cinturões dos meio-médios e peso palha também estarão em jogo. (Foto: Divulgação)

Não é só Eddie Alvarez e Conor McGregor que disputaram um cinturão nesta noite de sábado (12). Pela primeira vez na história, o Ultimate agendou três disputas de título no mesmo card, o que torna o evento ainda mais especial. E os escolhidos vivem momentos distintos.

Na segunda atração mais importante do show, o campeão Tyron Woodley colocará seu cinturão em jogo pela primeira vez contra o carateca Stephen Thompson. Desde que nocauteou Robbie Lawler, em julho, e chegou ao topo dos meio-médios, Woodley tem vivido com a alcunha de ser considerado um dos campeões mais subestimados do Ultimate. Aos 34 anos e com o cartel de 16 vitórias e apenas três derrotas na carreira, “T-Wood” quer provar, no próximo sábado, que não será tarefa fácil tirá-lo do posto de número um até 77kg.

Ao contrário de seu rival, Thompson é um dos queridinhos dos fãs. Atualmente morando e treinando em Nova York, o “Wonderboy” ficou conhecido pelos plásticos nocautes aplicados em seus adversários, quase sempre através de seus perigosos chutes rodados. Com sete vitórias em sequência (13-1 como profissional), Stephen promete fazer valer a confiança depositada em torno de seu nome. Vem mais chute rodado por aí?

Segunda campeã mais dominante da atualidade, a polonesa Joanna Jedrzejczyk vai para sua quarta defesa de título em menos de dois anos. Conhecida por seu muay thai agressivo, Joanna não deu chances para nenhuma das mulheres que ousaram atravessar seu caminho. Invicta em 12 lutas profissionais de MMA, ela quer aumentar sua sequência de defesas e continuar cravando seu nome na história da companhia.

Franca atiradora, Karolina Kowalkiewicz entra com a missão ingrata de desbancar a temida campeã. Maior azarão na casa de apostas, Kowalkiewicz, assim como sua compatriota, ainda não sabe o que é perder no MMA. Com três lutas no Ultimate, ela se credenciou ao posto de desafiante ao obter uma vitória surpreendente sobre Rose Namajunas, em julho. Teremos outra zebra neste sábado?

3 – Ex-campeões buscam a volta por cima

Weidman (esq), Tate (cen) e Edgar (dir) perderam em suas últimas lutas. (Foto: Produção SUPER LUTAS (Divulgação/UFC)

Weidman (esq), Tate (cen) e Edgar (dir) perderam em suas últimas lutas. (Foto: Produção SUPER LUTAS (Divulgação/UFC)

Além dos quatro campeões citados acima, outros três também irão estar em ação no Madison Square Garden: Chris Weidman, Miesha Tate e Frankie Edgar. Curiosamente, os três lutadores vêm de derrota.

Último combate da noite a não ter uma disputa de título, Chris Weidman x Yoel Romero será crucial para o futuro da categoria dos médios. Ambos os atletas atuaram pela última vez no mesmo evento, no UFC 194, em dezembro de 2015. Na ocasião, Weidman foi nocauteado por Luke Rockhold e perdeu o cinturão da divisão, enquanto Romero superou Ronaldo Jacaré na decisão dividida dos juízes. Integrantes da elite, os dois se enfrentam com um só objetivo: tornar-se o desafiante número 1 dos médios e encarar o campeão Michael Bisping.

Ainda no card principal, a peso galo Miesha Tate, destronada pela brasileira Amanda Nunes no UFC 200, em julho, irá começar sua retomada contra a embalada Raquel Pennington. Com cinco triunfos e três derrotas no Ultimate, Miesha chegou ao ápice de sua carreira em março desse ano, quando finalizou Holly Holm e conquistou o cinturão da galos. Após o revés para Nunes, Tate, número um da categoria, precisa voltar ao caminho das vitórias se ainda quiser pensar em título. Pennington, em contrapartida, vem de três triunfos consecutivos e busca um espaço no top 5.

O primeiro ex-campeão a pisar no octógono será Frankie Edgar, que medirá forças com o sempre perigoso Jeremy Stephens, em combate que encerra o card preliminar. Derrotado por José Aldo em julho na disputa do cinturão interino dos penas, Edgar teve uma sequência de cinco vitórias interrompidas. Um resultado positivo frente a Jeremy é essencial para não distanciá-lo da elite da divisão. Alternando altos e baixos na carreira, Stephens não atua desde maio, quando derrotou o brasileiro Renan Barão. Sétimo na lista da categoria, o norte-americano ainda carece de uma vitória contundente para se provar como real ameaça até 66kg.

4 – Brasileiros em ação 

Brasileiros estarão em ação no card preliminar do UFC 205. Foto: Produção SUPER LUTAS (Divulgação/UFC)

Brasileiros estarão em ação no card preliminar do UFC 205. Foto: Produção SUPER LUTAS (Divulgação/UFC)

No card preliminar do show, três brasileiros estarão em ação. O primeiro deles Thiago Pitbull, que faz sua estreia no peso leve (até 77kg.) contra o experiente Jim Miller. Sem lutar desde maio de 2015, Pitbull busca dar a volta por cima na carreira e por fim a um jejum de vitórias que já dura 22 meses. No UFC desde 2005, o cearense de 33 anos já realizou 20 lutas no Ultimate, com 13 vitórias e sete derrotas, incluindo uma disputa de título contra o ex-campeão Georges St. Pierre, em 2009. Miller, por sua vez, está de bem com as vitórias: já são duas consecutivas, o que lhe deu sobrevida na organização após perder quatro de cinco lutas recentes. Fora do ranking, o especialista em jiu-jitsu quer estragar a festa do brasileiro para voltar a figurar entre os principais nomes da divisão.

Na sequência, será a vez de Vicente Luque subir no octógono. O brasileiro radicado nos Estados Unidos busca a quarta vitória consecutiva na organização, mas para isso terá que superar o casca-grossa Belal Muhammad. Participante do TUF 21, Luque atuou pela última vez no UFC Brasília, quando despachou Hector Urbina em apenas 60 segundos. Belal estreou no Ultimate em julho, com derrota para Alan Jouban, mas se recuperou ao nocautear Augusto Montano em setembro passado. O cartel de 10 triunfos e apenas uma derrota mostra que o norte-americano tem condições de proporcionar uma luta duríssima ao embalado Vicente Luque.

O último atleta tupiniquim a se apresentar será o peso médio Rafael “Sapo”, que enfrenta o veterano Tim Boestch. Vindo de derrota para Robert Whittaker, em abril deste ano, Sapo precisa da vitória para se manter entre os 15 melhores da categoria. No UFC desde 2010, o mineiro já realizou 15 lutas, com nove vitórias, cinco derrotas e um empate. Boestch, em contrapartida, luta para afastar o risco de demissão. Com apenas uma vitória nas últimas quatro lutas, o Bárbaro, como é conhecido, sabe que um novo tropeço pode significar o fim de sua trajetória na companhia.

5 – Pesos leves de olho no cinturão 

Khabib (esq) eJohnson (dir) duelam de olho no cinturão da categoria. (Foto: Getty Images)

Khabib (esq) eJohnson (dir) duelam de olho no cinturão da categoria. (Foto: Getty Images)

Outro confronto que promete levantar o público local é entre os pesos leves Khabib Nurmagomedov e Michael Johnson, que pode definir o próximo desafiante da categoria até 70kg.

Invicto no MMA com 23 vitórias em 23 lutas –  sendo sete no UFC, o russo, atual segundo colocado no ranking da categoria, por muito pouco não foi o escolhido do Ultimate para enfrentar o atual campeão Eddie Alvarez. Sem o title shot, Khabib, que ja derrotou nomes como Rafael dos Anjos, Gleison Tibau, Thiago Tavares e Abel Trujillo, deve apostar em seu eficiente jogo de quedas para neutralizar Johnson e consolidar, de uma vez por todas, seu posto de desafiante.

Já Michael vem de um nocaute fulminante sobre Dustin Poirier, em setembro passado. Sexto colocado entre os leves, o atleta da Blackzilians quer voltar a engatar uma série de resultados positivos para retomar sua caminhada rumo ao pelotão de elite da divisão. Com nove vitórias e seis derrotas no Ultimate, incluindo triunfos sobre Edson Barboza, Tony Ferguson e Joe Lauzon, Johnson apostará no boxe afiado e combinações perigosas para surpreender o mundo mais uma vez.

Ficha técnica do UFC 205

DATA E HORÁRIO: 12/11/2016, a partir de 21h30 (horário de Brasília)
LOCAL: Madison Square Garden, Nova York, Estados Unidos
TRANSMISSÃO: Canal Combate

CARD PRINCIPAL
Peso leve: Eddie Alvarez x Conor McGregor (disputa de cinturão)
Peso meio-médio: Tyron Woodley x Stephen Thompson (disputa de cinturão)
Peso palha: Joanna Jedrzejczyk x Karolina Kowalkiewicz (disputa de cinturão)
Peso médio: Chris Weidman x Yoel Romero
Peso galo: Miesha Tate x Raquel Pennington
CARD PRELIMINAR
Peso pena: Frankie Edgar x Jeremy Stephens
Peso leve: Khabib Nurmagomedov x Michael Johnson
Peso meio-médio: Vicente Luque x Belal Muhammad
Peso leve: Jim Miller x Thiago Pitbull
Peso médio: Rafael Natal x Tim Boetsch
Peso galo: Liz Carmouche x Katlyn Chookagian

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments