Comentarista do UFC detona Jones: ‘Maior filho da p*** da história’

Joe Rogan, comentarista do UFC, não poupou criticas a Jon Jones, que falhou novamente em um exame antidoping

Rogan não poupou críticas a Jones (Foto: Reprodução/Facebook JoeRogan)

Rogan não poupou críticas a Jones (Foto: Reprodução/Facebook JoeRogan)

O comentarista Joe Rogan, figura conhecida nas transmissões e eventos do UFC, é conhecido por não ter papas na língua na hora de dar declarações polêmicas. E a vitima da vez foi Jon Jones, que recentemente foi novamente flagrado em um exame antidoping realizado pela USADA, agência responsável pelas realizações de testes nos atletas. Irritado com mais um erro de ‘Bones’, Rogan o classificou como o maior f*** da história do MMA, garantindo que não tem mais preocupação em respeitar o lutador.

Veja Também

Jon Jones se pronuncia pela primeira vez após novo doping: ‘Abençoado’
Nurmagomedov desafia McGregor para duelo no UFC 219, em dezembro

“Com isso, Jon Jones se torna o maior filho da p*** de todos os tempos, com certeza, isso se ele já não fosse. Essa foi a maior de todas. Só nos resta esperar e rezar para que, de alguma forma, tenha havido um erro (no resultado do seu exame). Aqui está a verdade: ninguém sabe o que está acontecendo agora (com o Jon Jones). Acho que agora estamos liberados para especular sem nenhum receio de não sermos respeitosos”, em seu podcast ‘Joe Rogan Experience’.

Histórico de Jon Jones

Aos 30 anos, Jon Jones tem um cartel profissional de 22 vitórias e apenas uma derrota, em uma contestadíssima desclassificação por uma cotovelada ilegal. Líder do ranking peso por peso do UFC, ele é o mais jovem campeão da história da organização e considerado por muitos o maior lutador de todos os tempos. Porém, problemas fora das competições atrapalham a carreira do atleta.

Jones confessou ser viciado em cocaína e chegou a ser preso por atropelar uma gestante e fugir do local por estar efeito de drogas. Na ocasião, o UFC retirou seu cinturão e o suspendeu até que o caso fosse julgado e ele fosse condenado a liberdade condicional e cumprir serviços obrigatórios. O presidente do UFC, Dana White, chegou a revelar, ao reintegrar o lutador ao plantel de atletas, que aquela seria sua última chance.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments