Perto do cinturão, Renato Moicano mira em duelo contra José Aldo: ‘Faz sentido’

Brasiliense, de apenas 29 anos, mira em chance pelo cinturão dos penas após vencer Cub Swanson, mas considera que duelo contra compatriota Aldo pode acontecer

Moicano mira em luta contra Aldo (Foto: Reprodução/Facebook UFC)

Renato Moicano chegou ao Ultimate, em 2014, e já sonha alto. Com apenas 29 anos, o brasiliense soma 13 vitórias, um empate e apenas um revés – para o número um do ranking dos  penas Brian Ortega. Vindo de um grande triunfo sobre Cub Swanson, no início do mês, o brasileiro já mira na chance pelo cinturão. Mesmo que para isso tenha que enfrentar seu ídolo: o compatriota José Aldo.

Veja Também

Gleison Tibau deixa o UFC após 12 anos
Thales Leites anuncia aposentadoria após UFC São Paulo: ‘Chegou a hora de me despedir’
Pai de Nurmagomedov avisa a McGregor que não terá chances contra o filho
Ex-campeão do UFC acusa médico de universidade por abuso sexual

Moicano garante que seu foco está em encarar o havaiano Max Holloway, dono do título da divisão, mas reconhece que encarar Aldo antes da chance pelo cinturão é, para ele, ‘uma luta que faz sentido’.

“A luta que eu não queria, mas acho que faz sentido é a luta com o José Aldo. Ele está na minha frente no ranking, acho que pra mim, não vale a pena pegar um cara que está atrás de mim. Ainda mais vindo de vitória contra o Cub Swanson, vindo de duas vitórias e apenas uma derrota contra o Ortega. Tem que andar para frente. Tudo depende de como eles vão casar as lutas. O Frankie Edgar também é uma luta que me interessa, mas ele como ele está com luta marcada… A luta que me interessava era o Max Holloway, se não fosse ele, queria o Frankie Edgar, que está na minha frente. Mas ele só luta em setembro, então não quero ficar esperando… Essa luta contra o José Aldo é uma possibilidade, mas falo isso com todo o respeito ao campeão que ele é. Ele seria o favorito, mas tenho certeza que seria uma grande luta”, disse Moicano, em entrevista ao canal do YouTube ‘Encarada’.

Ocupando a quarta posição no ranking dos penas, Moicano, segundo ele, demorou para entrar no top-5. Mas após a vitória diante de Swanson, o brasileiro garante que chegou para ficar.

“Acho que eu já deveria ter entrado no top 5, pois já venci o Jeremy Stephens quando ele era um top 5, mas eles me colocaram no top 10 porque eu ainda não era do ranking. Então ficou essa dúvida pra galera. ‘Será que esse cara ganhou na sorte e tal’? Não me colocaram no ranking. Depois enfrentei o (Brian) Ortega, mas fiz uma boa apresentação. Depois vencei o Calvin Kattar, e agora com essa vitória contra o Cub Swanson cravei meu nome no top dos penas. Agora eu cheguei de vez e o pessoal me conhece”, completou.

Entrevista com Renato Moicano

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário