VÍDEO: Glover Teixeira analisa combate diante de Jan Blachowicz pelo cinturão do Ultimate | SUPER LUTAS

VÍDEO: Glover Teixeira analisa combate diante de Jan Blachowicz pelo cinturão do Ultimate

Em entrevista exclusiva ao SUPER LUTAS, brasileiro diz que planeja trabalhar no jogo de chão para conquistar o cinturão dos meio-pesados (até 93kg.)


Glover Teixeira está a um passo de fazer história no Ultimate. O brasileiro, que teve sua luta diante de Jan Blachowicz pelo título dos meio-pesados (até 93kg.) confirmada para o UFC 266 no dia 4 de setembro, pode conquistar o cinturão aos 41 anos. Em entrevista exclusiva ao canal do SUPER LUTAS, ele falou sobre sua preparação para o combate contra o polonês e fez uma projeção sobre seu futuro.

Veja Também

Apesar de medir forças contra Jan Blachowicz, Glover Teixeira faz questão de não menosprezar seu adversário. Ele revela, no entanto, que já tem uma estratégia traçada para conseguir derrotá-lo e expõe brechas no jogo do polonês.

“Meu jogo é de pressão o tempo todo. Confio muito em meu cardio, meu gás. É sempre a estratégia para minha luta. E, claro, o chão é um caminho. Acredito que o Blachowicz vá querer fazer striking, mas minha estratégia é botar para baixo e vencer”, disse Glover.

Aos 41 anos, Glover chegou em sua segunda disputa de cinturão ao emplacar uma sequência de cinco vitórias seguidas no Ultimate. Questionado sobre sua mudança desde o primeiro confronto contra Jon Jones, em 2014, ele afirmou que precisou mudar sua disciplina para que conseguisse se tornar ainda mais longevo na carreira.

“Hoje eu tenho uma disciplina maior. Eu estava lutando com muitos caras duríssimos, mas não era tão disciplinado. Então, era cerveja e churrasco em off. Agora, meu período em off está com outra disciplina e isso faz a diferença para meu momento hoje (…) estou muito feliz que tem muitas pessoas dispostas a me ajudar no camp para a luta (…) Ainda não sentei com meus treinadores e a gente vai começar a focar mais na parte de preparação física e a parte técnica. Mas o sparring, não. Só farei quando estivermos perto da luta para reduzir o risco de lesão. Não tem muito essa ‘ciência’. O negócio é só cuidar bastante para não entrar em overtraining e ficar equilibrado, em forma”, afirmou o brasileiro.

APOSENTADORIA? QUE NADA…

Responsável por ser um dos principais nomes brasileiros do MMA na atualidade, Glover Teixeira diz que não pensa em uma data para aposentadoria. Aos 41 anos, o representante tupiniquim diz que ainda se sente bem nos treinamentos e não lida com lesões frequentes. Além disso, ele admite que já está realizado por estar lutando em alto nível e por sua vitoriosa carreira.

“Eu tenho 41 anos. Depois desta luta, vou para 42. Eu sou um abençoado em estar lutando com minha idade em alto nível. Eu sei que não vou fazer muitas lutas na carreira, mas não tenho lesões. A vida inteira treinei muito, mas eu não tinha disciplina, agora tudo mudou. Sonho de todo lutador é conquistar o cinturão. Eu ‘já bati na porta’ contra o Jon Jones, mas sempre acreditei que daria a volta por cima, mesmo tendo altos e baixos. E, em alguns momentos, cheguei a pensar: ‘Será que eu vou conseguir algum dia lutar pelo cinturão de novo?’ e agora consegui emplacar cinco vitórias nos últimos dois anos. É uma conquista. Já sou realizado. Mas eu não vou fazer uma decisão assim, pois ainda gosto de treinar e ainda estou aprendendo”, destacou.

ADESANYA ‘FUROU A FILA’

Depois de finalizar no terceiro round o compatriota Thiago Marreta e pular para a primeira posição na divisão dos meio-pesados, parecia certo de que Glover Teixeira teria sua chance pelo título. Entretanto, o competidor viu o campeão dos médios (até 83,9kg.) Israel Adesanya ‘furar a fila’ e enfrentar Jan Blachowicz. Agora, ele revela que apostava em uma vitória do nigeriano.

“Eu estava bem confiante de que a luta aconteceria. Eu ganhei do nº 1 e nem acreditei. Quando estava lutando com o Marreta, pensei que a próxima luta já seria pelo cinturão. E, de repente, Adesanya lutou. (…) pensei que ele iria ganhar e falei também antes que o caminho para o Blachowicz era botar para baixo, mas não pensei que ele fosse conseguir, já que o Adesanya se movimenta muito. Mas o Blachowicz mandou bem, botou para baixo com facilidade e expôs um pouco o jogo dele”, relembrou.

PERÍODO EM INATIVIDADE

Quando enfrentar Blachowicz, Glover terá ficado dez meses sem subir ao octógono. Ainda assim, o brasileiro descarta que entrará sem ritmo ao combate, além de relembrar que seguiu treinando e se colocou como ‘reserva’, caso algum dos dois precisasse se retirar do card.

“Eu fiz um camp inteiro (para ser reserva de Blachowicz x Adesanya). Então eu estava treinando para caramba. Então, o corpo só não foi à luta. A gente fala: ‘O cara tem dois anos sem lutar e está sem ritmo’, mas fica sem ritmo apenas se ficar sem treinar”, finalizou.

Profissional desde 2002, Glover Teixeira fará sua 40ª luta no MMA justamente contra Jan Blachowicz. Atualmente, são 32 vitórias e sete derrotas. Além disso, o brasileiro ocupa a primeira colocação no ranking dos meio-pesados, atrás apenas do polonês.

Comentários

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments