Raoni Barcelos analisa decisão dos juízes e desabafa após primeira derrota no UFC: 'Muito difícil para mim' | SUPER LUTAS

Raoni Barcelos analisa decisão dos juízes e desabafa após primeira derrota no UFC: ‘Muito difícil para mim’

Batido por Timur Valiev no UFC Las Vegas 30, promessa dos galos fala com exclusividade ao SUPER LUTAS sobre resultado negativo

Promessa brasileira no peso galo (até 61,2kg.) do Ultimate, Raoni Barcelos conheceu sua primeira derrota na organização no encontro com Timur Valiev, no UFC Las Vegas 30. Dias depois do resultado negativo, o atleta falou com exclusividade ao canal no YouTube do SUPER LUTAS e tratou com serenidade sobre o momento. Mesmo abalado com o revés, o atleta encontrou pontos positivos e sugeriu um próximo adversário para sua recuperação.

Veja Também

A derrota para Valiev interrompeu uma sequência de nove triunfos do brasileiro. O atleta não perdia desde abril de 2014, quando ainda não integrava o corpo de lutadores do Ultimate.

Sentimento pós-derrota

Chateado com o primeiro resultado negativo com as luvas do Ultimate, Raoni não escondeu a frustração por não conseguir vencer o compromisso do último dia 26. O atleta, então, desabafou sobre o que tem sentido nos últimos dias.

“Está sendo muito difícil para mim. Tem muito tempo que eu não tinha essa sensação. É muito ruim. Acho que requer tempo. Preciso dessa semana para poder descansar. (…) Quando eu voltar à ativa, eu analiso bem o que aconteceu”, disse Barcelos.

Decisão dos juízes

Embora tenha sentido o gosto da derrota, parte dos fãs se manifestou contrária à decisão dos juízes, que deram a vitória para o russo majoritariamente. Com pés no chão, Raoni não buscou encontrar desculpas e preferiu não contestar o corpo julgador.

“A gente tem uma visão completamente diferente quando está lutando. Quando acabou a luta, a primeira pessoa que eu vi foi o ‘Glovão’ (Glover Teixeira). Ele falou: ‘o que eu vi do lado de fora foi que tu ganhou. Aquele knockdow, você esteve perto de terminar a luta. (…) Acho que o segundo round você levou com 10-8’. Então, eu fiquei tranquilo. (…) Me perguntaram se eu concordava com a arbitragem, então, o que eu vou discordar deles? Eles estão ali para me avaliar, avaliar a luta. Se eu tivesse feito diferente, terminado a luta no segundo round, isso não estaria acontecendo. Então, faltou alguma coisa da minha parte para poder ganhar. (…) Não tem que discutir, brigar, falar que foi roubo. Cada um vê de uma maneira e eu estou vendo dessa. Sou um cara que me cobro demais”, desabafou Raoni.

O que mudaria na luta?

Conhecido por sua versatilidade, mantendo alto nível tanto na luta em pé quanto na agarrada, Barcelos não conseguiu uma atuação dominante como visto em seus últimos duelos. O atleta, então, expôs o que, neste primeiro momento, consegue avaliar que mudaria na performance.

“Decidiu muito no terceiro round. Ali, acabei me travando muitas vezes. Eu sabia que ele queria me colocar para baixo, mas acabou que eu não soltei meu wrestling, acabei segurando alguns golpes. (…) Na hora da luta, que a gente passa, não tem explicação. É complicado. Preciso ver com calma, analisar”, disse o tupiniquim.

Ponto positivo

Mesmo visivelmente chateado com a derrota, Barcelos admite que já enxerga algo positivo com relação ao duelo contra Valiev. Sincero, o brasileiro revelou o pensamento.

“Passa um filme na cabeça. As coisas ruins acontecem para você melhorar mais para frente. Eu preciso de um momento mais para mim, viajar, procurar mais treinos. Vou em busca disso, aproveitar o centro de treinamentos do UFC para fazer testes, treinamentos. Acho isso superimportante. Acho que agora é o momento. Tenho certeza de que o Sean Shelby e Dana White não se arrependeram dessa luta. Eles gostaram. Deram a ‘Melhor Luta’ para a gente. (…) Tenho certeza de que vou superar isso tudo”, afirmou.

Em busca do top 15

Quando subiu no octógono pelo UFC Las Vegas 30, Barcelos não escondia que o embate contra Timur seria determinante para enfrentar um top 15 na sequência. Mesmo sem a vitória, o brasileiro entregou uma grande batalha à organização. Assim, Raoni segue com a intenção de enfrentar um oponente ranqueado e revelou qual nome seria interessante para seu retorno.

“Eu queria lutar com o Cody Stamann, que está vindo de derrota também. A gente já ia lutar. Ele é top 15. Seria uma boa luta para mim. Depende deles. Se eles quiserem, vou estar pronto”, encerrou.

Histórico do atleta

Aos 34 anos, Raoni soma 18 apresentações como profissional no MMA. O brasileiro, hoje, tem 16 triunfos e dois reveses na modalidade.

Escute o Podcast SUPER LUTAS #22 com a partipação do árbitro Flávio Almendra

Comentários

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments