Após morte no ‘boxe sem luvas’, entidade acusa organizações de não seguirem protocolos mínimos de segurança; confira

Associação de Comissões de Boxe dos Estados Unidos se manifesta depois de tragédia ocorrida em luta no Bare Knuckle FC

J. Thornton faleceu aos 38 anos. Foto: Reprodução/Twitter BKFC

Uma tragédia causada pela morte de Justin Thornton, consequência do agravamento de um nocaute sofrido no Bare Kunckle FC comoveu a comunidade das artes marciais nesta semana. Depois da confirmação do óbito do veterano, derrotado por Dilon Cleckler em agosto, a Associação de Comissões de Boxe dos Estados Unidos (ABC) se manifestou sobre a situação, que pode colocar em risco eventos de ‘boxe sem luvas’.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Em trecho divulgado pelo ‘Combate’, a entidade torna pública a preocupação com atletas que se submetem a tais confrontos, que expõe os lutadores a um alto nível de agressividade. O comunicado foi divulgado na última terça-feira (5), cerca de um dia após o anúncio do falecimento de Justin.

“O comitê está especialmente preocupado que atletas competindo no boxe sem luvas estejam sob riscos maiores de lesões agudas e crônicas devido a esses e outros fatores”, publicaram.

PUBLICIDADE:

Ainda segundo o ‘Combate’, a Associação de Comissões de Boxe admitiu ter uma atenção especial para eventos de ‘boxe sem luvas’. Por se tratar de um esporte de combate que, por diversas vezes, chocam com imagens sangrentas, bem como nocautes brutais, algumas regras deveriam ser seguidas para manter, ao máximo, a integridade física de seus funcionários. No entanto, as sugestões não são devidamente seguidas.

“Apesar de nossas recomendações, algumas jurisdições que regulamentam esses eventos ainda não seguem as mínimas guias médicas determinadas pela ABC e pela Associação de Médicos de Ringue (ARP). Mais preocupante é o fato que muitas comissões ainda não exigem nenhum estudo de imagem (seja tomografia computadorizada ou ressonância magnética) num esporte em que os indivíduos estão sob risco de lesões crônicas e agudas na cabeça”, admitiram.

PUBLICIDADE:

Vítima de uma possível negligência por parte do BKFC, como sugerido pela ABC, Thornton realizava sua estreia na organização no confronto contra Clecker. O veterano de 38 anos não teve muito tempo de confronto. O atleta foi à lona com apenas 19 segundos de luta e, após o desfecho brutal, foi imediatamente hospitalizado e seguiu até o dia de sua morte.

PUBLICIDADE:

A causa do óbito foi uma infecção provocada por uma lesão na medula espinhal. Antes de chegar ao BKFC, Justin teve uma longa carreira no MMA. O atleta, porém, tinha um cartel negativo, com 18 derrotas e seis vitórias em 24 compromissos.

Podcast #40: José Aldo ainda pode ser campeão no UFC?