Cinco motivos para assistir ao badalado UFC 273, neste sábado

Evento traz aguardado confronto entre Durinho x Chimaev, além de lutas pelos títulos dos penas e galos; ao todo, 12 lutas são programadas e três brasileiros

G. Durinho (esq.) e K. Chimaev (dir.) são destaques no UFC 273. Foto: Montagem SUPER LUTAS

Chegou o grande momento. Neste sábado (9), o Ultimate desembarca em Jacksonville (EUA) para promover um dos principais espetáculos da temporada 2022. Com 12 lutas previstas, o UFC 273 trará o aguardado confronto entre Gilbert Durinho e Khamzat Chimaev. A ‘cereja do bolo’ será representada por duas disputas de cinturão, nos penas (até 65,7kg.) e galos (até 61,2kg.).

PUBLICIDADE:

Veja Também

Considerado pelo próprio Durinho como ‘luta principal do povo’, o brasileiro aceitou o desafio de encarar o ‘pupilo de Dana White’, Chimaev. O niteroiense encara o ‘monstro’ dos meio-médios (até 77kg.) em embate que pode colocar o vencedor em condições de desafiar o campeão pelo cinturão do grupo.

No combate principal, Alexander Volkanovski estreia na temporada e busca sua terceira defesa de título. Para atingir o objetivo, o campeão dos penas precisará passar por Chan Sung Jung, o ‘Zumbi Coreano’.

PUBLICIDADE:

A penúltima apresentação no espetáculo, outra disputa de cinturão. Donos dos cinturões linear e interino dos galos, Aljamain Sterling e Petr Yan fazem confronto histórico na categoria. O embate marca a aguardada revanche entre os combatentes pouco mais de um ano após o primeiro encontro.

Além de Durinho, o Brasil contará com mais dois representantes. No card principal, Mackenzie Dern enfrenta Tecia Torres. Na luta que abre o evento, Daniel Willycat faz sua estreia na companhia diante de Julio Arce.

PUBLICIDADE:

Para entrar no clima, nossa equipe selecionou cinco motivos para acompanhar o UFC 273. Confira:

PUBLICIDADE:

1) ‘Luta dos Sonhos’: Durinho x Chimaev e olho no cinturão

G. Durinho (esq.) e K. Chimaev (dir.) se enfrentam no UFC 273. Foto: Reprodução/Instagram @ufc_brasil

Inserida como destaque no card principal, a luta entre Gilbert Durinho e Khamzat Chimaev poderia muito bem ser um confronto mais relevante de um espetáculo. O confronto, no entanto, antecipa as duas disputas de cinturão do evento.

O combate, então, tem muito a oferecer, não só pela curiosidade e técnica das estrelas, mas pelo que pode acontecer com os protagonistas, em caso de vitória.

De um lado, Gilbert topou o desafio de enfrentar o ‘pupilo de Dana White’. Para isso, o ex-desafiante ao cinturão dos meio-médios (até 77kg.) aceitou dar um ‘passo atrás’ e, assim, medir forças contra o 11º do grupo, mesmo figurando em segundo atualmente.

Embora não haja confirmação por parte da diretoria do Ultimate, há chances de que o dono do resultado positivo possa desafiar o vencedor do confronto entre Kamaru Usman e Leon Edwards, pelo cinturão da divisão.

Caso Durinho supere a promessa, o atleta deve ter a segunda oportunidade de lutar pelo título. Se Chimaev vencer, o combatente pode protagonizar uma chance relâmpago de atuar por um cinturão do UFC.

2) Hora da verdade para Chimaev

K. Chimaev está invicto em 10 lutas como profissional no MMA. Foto: Reprodução/Instagram

Invicto no MMA e com status de novo fenômeno do UFC, Chimaev tanto pediu que conseguiu um compromisso contra um adversário da elite dos meio-médios. Assustador e com ‘instinto assassino’, o sueco massacrou todos os quatro adversários escalados para enfrentá-lo na companhia, vencendo os rivais na via rápida.

Acostumado a bater os rivais no Ultimate praticamente sem ser tocado, Khamzat terá seu maior desafio da carreira, e tem esbanjado confiança. Durante a semana de promoção do evento, o atleta chegou a cravar que irá superar o brasileiro com um nocaute no primeiro minuto.

A grande questão é: Chimaev é, de fato, tudo aquilo o que se promete? Companheiros de equipe, como Darren Till e Alexander Volkanovski já garantiram que o sueco é um lutador totalmente diferente do que já viram.

Neste fim de semana, Khamzat, então, terá a oportunidade de se provar. Se vencer, se confirma como realidade do MMA. Se perder, o atleta encontrará um ‘teto’, e Durinho calará parte dos críticos que dão seu tropeço como certo.

3) Volkanovski: uma lenda a ser reconhecida

A. Volkanovski (foto) é campeão dos penas desde 2019. Foto: Reprodução/Instagram

Carrasco de nomes como Max Holloway e José Aldo – fenômenos do peso pena -, Alexander Volkanovski está pronto para estrar na temporada 2022. Campeão da categoria até 65,7kg. desde 2019, o australiano busca ampliar seu legado e, para isso, precisa passar pelo ‘Zumbi Coreano’.

Em grande fase na carreira, Alex busca sua terceira defesa de cinturão. O adversário, de início, seria Holloway, que acabou se lesionando. Jung, então, topou o compromisso de encarar o australiano.

Além da oportunidade de se aproximar da marca de José Aldo, que, nos penas, soma sete defesas de título com as luvas do Ultimate, Volkanovski ampliará uma marca pessoal. Se vencer no sábado, o campeão atingirá a impressionante marca de 21 triunfos consecutivos como profissional no MMA.

4) Sterling x Yan: acerto de contas

P. Yan (dir.) e A. Sterling (esq.) tocam luvas antes de luta no UFC 259. Foto: Reprodução/Instagram

Quem não se lembra do anticlímax promovido por Aljamain Sterling e Petr Yan no UFC 259? Pouco mais de um ano depois, chegou a hora do acerto de contas.

Mais de 12 meses depois de ser destronado no peso galo após aplicar uma joelhada ilegal em Sterling, Petr terá a oportunidade de se redimir. Após incontáveis episódios de provocações, o russo e o norte-americano voltam a medir forças no octógono.

Dono do cinturão linear desde o fatídico UFC 259, Aljamain não se apresentou desde a conquista. Antes da ‘revanche obrigatória’, o combatente acabou se lesionando e ficou fora de ação por quase uma temporada.

Do outro lado, Yan buscava de todas as formas reassumir seu trono. Sem a chance de resolver as pendências com o rival, o russo foi escalado para disputar o título interino contra Cory Sandhagen, e venceu o norte-americano em batalha de cinco rounds.

Agora, chegou o momento da unificação do cinturão. Sterling tenta provar ser merecedor do trono, enquanto Petr quer mostrar que a joelhada não passou de mera fatalidade.

5) Mais Brasil

M. Dern (esq.), D. Willycat (dir.) e G. Durinho representarão o Brasil no UFC 273. Montagem SUPER LUTAS

Além de Gilbert Durinho, o Brasil contará com mais dois representantes. No card principal, Mackenzie Dern terá um duro compromisso pela frente. Lenda do jiu-jitsu, a tupiniquim defende a quinta posição nos palhas (até 52,1kg.) contra Tecia Torres. A atleta também tenta se recuperar do tropeço sofrido contra Marina Rodriguez, em outubro de 2021.

Lutador do peso galo (até 61,2kg.), Daniel Willycat viverá o momento mais importante de sua carreira profissional neste fim de semana. Atleta da Chute Boxe, o mineiro estrará no UFC contra Julio Arce. O embate abrirá o espetáculo do sábado.

Ficha técnica do UFC 273

Data: 09 de abril de 2022

Horário: A partir das 19h30 (horário de Brasília)

Local:  VyStar Veterans Memorial Arena, Jacksonville, EUA

Como assistirSUPER LUTAS AO VIVO em tempo real e Canal Combate (todo o card) pela TV

CARD PRINCIPAL (23h, horário de Brasília)

Peso pena (até 65,7kg.): Alexander Volkanovski x Chan Sung Jung – Luta pelo cinturão

Peso galo (até 61,2kg.): Aljamain Sterling x Petr Yan – Luta pelo cinturão

Peso meio-médio (até 77kg.): Gilbert Durinho x Khamzat Chimaev

Peso palha (até 52,1kg.): Mackenzie Dern x Tecia Torres

Peso leve (até 70,3kg.): Vinc Pichel x Mark Madsen

CARD PRELIMINAR (19h30, horário de Brasília)

Peso meio-médio (até 77kg.): Ian Garry x Darian Weeks

Peso galo (até 61,2kg.): Aspen Ladd x Raquel Pennington

Peso meio-médio (até 77kg.): Mickey Gall x Mike Malott

Peso pesado (até 120,2kg.): Alexey Oleynik x Jared Vanderaa

Peso médio (até 83,9kg.): Anthony Hernanez x Josh Fremd

Peso palha (até 52,1kg.): Piera Rodriguez x Kay Hansen

Peso galo (até 61,2kg.): Julio Arce x Daniel Willycat

Podcast #68: Adesanya, Poatan e Volkanovski: Tudo sobre o UFC 276