Holly Holm choca o mundo, vence por nocaute e deixa Ronda chorando

Desafiante se tornou uma das maiores zebras na história do MMA e deixou a agora ex-campeã desmaiada

Holm (esq.) foi implacável contra Ronda (dir.) em Melbourne. Foto: Josh Hedges/UFC

Holm (esq.) foi implacável contra Ronda (dir.) em Melbourne. Foto: Josh Hedges/UFC

Os fãs de MMA que ficaram acordados até as 3h53 da madrugada deste domingo para assistir à luta principal do UFC 193 foram recompensados com um dos maiores momentos da história do esporte. Maior nome do Ultimate na atualidade, Ronda Rousey foi nocauteada de forma impiedosa pela desafiante Holly Holm em uma das grandes zebras já registradas em um ringue.

Veja Também

Vídeo: Assista ao nocaute de Holly Holm sobre Ronda Rousey no UFC 193
Dana White e Holly Holm concordam: ‘Ronda merece revanche imediata’
Galeria: Ronda vira alvo de memes após perder invencibilidade no UFC
Pezão leva a pior e é nocauteado em tira-teima contra Mark Hunt

O UFC 193 já seria um evento histórico por si só, já que levou quase 70 mil torcedores ao Etihad Stadium, em Melbourne , mas o feito de Holm ofuscou qualquer outra marca que pudesse ser atingida na tarde australiana e acertou sua marca registrada, um chute alto certeiro, que levou Ronda à lona imediatamente.

“Eu não sei, é difícil falar como eu me sinto, mas é muita loucura. Eu cheguei aqui e recebi tanto amor e carinho, que não poderia fazer nada além de retribuir”,Foram muitas lágrimas, muito suor, mas tudo valeu a pena”, disse uma emocionada Holm, ao comentarista Joe Rogan ainda no octógono. Por sua vez, Rousey, inconsolável e debulhada em lágrimas, deixou o ringue sem falar.

Com o triunfo, Holm levou elevou seu cartel profissional para 10 vitórias em 10 lutas e manteve-se invicta. Já Ronda sofreu sua primeira derrota em 13 lutas e agora tem 12 vitórias e um revés.

A luta

No início do combate, Ronda acabou enfrentando dificuldades para se aproximar de Holm, que manteve bem a distância e atacou a campeã no contragolpe. Ronda, no entanto, conseguiu se aproximar e pegar a rival no clinch. Porém, a colega de treinos de Jon Jones reposicionou o combate na trocação e levou a vantagem.  No último minuto, Holm, que já havia escapado de um armlock, ainda perdeu seu protetor bucal e conseguiu até uma queda sobre a campeã, dando mostras que o que estava por vir não era o tradicional roteiro das lutas da campeã.

No segundo assalto, um chute frontal no rosto parece ter desnorteado Ronda, que após o golpe perdeu precisão e equilíbrio, tentando por diversas vezes golpes com pouca técnica e chegando a se desequilibrar sozinha em certo momento. Após receber um golpe de encontro e sofrer um knockdown, Ronda levantou sem se proteger e acabou recebendo um chute alto certeiro, com a canela, que a fez cair ao solo, em uma cena que lembrou bastante sua última vitória sobre a brasileira Bethe Pitbull. Holm ainda foi ao chão se certificar do triunfo e aplicou dois socos em Rousey, que já estava desmaiada àquela altura, antes da interrupção do árbitro Herb Dean.

Joanna tem atuação dominante e mantém título peso palha

Trocação de Joana (esq.) falou mais alto contra Valerie (dir.). Foto: Pat Scala/UFC

Trocação de Joana (esq.) falou mais alto contra Valerie (dir.). Foto: Pat Scala/UFC

Não foi de forma tão vistosa quanto suas duas últimas exibições no octógono, quando nocauteou impiedosamente Carla Esparza e Jessica Penne, mas Joanna Jedrzejczyk teve uma atuação dominante contra a canadense Valerie Letourneau e manteve o título da categoria peso palha na luta co-principal do UFC 193.

Logo de cara, a campeã foi surpreendida por Letourneau, que segurou um de seus chutes e conseguiu quedá-la. No chão, a canadense aplicou diversos golpes no ground and pound e até tentou um estrangulamento. Joanna, no entanto, conseguiu ficar novamente de pé, mas acabou muito desgastada pelo jogo de clinch da rival na grade. Porém, a um minuto e meio do fim do primeiro assalto, Jedrzejczyk encaixou um chute frontal certeiro, que desnorteou completamente a desafiante.

No segundo assalto, ambas as lutadoras mostraram ter aprendido bem o tempo dos golpes das rivais, e mostraram boas esquivas, bloqueios e seguraram sucessivos chutes. A grande diferença no round foram os chutes baixos da campeã, que incomodaram a desafiante e prejudicaram sua base.

Na terceira parcial, mais uma vez, um chute frontal de Joanna fez toda a diferença e abriu caminho para a campeã levar a melhor na trocação. Porém, desta vez, o golpe veio na primeira metade do round e garantiu à polonesa a superioridade.

Com sua diferença de velocidade acentuada pelos duros golpes nas pernas e na linha de cintura, Joanna ganhou no quesito mobilidade também no quarto round. A polonesa aplicou sequências cada vez mais extensas, enquanto a desafiante se resumia à sua defesa e às tentativas sem sucesso de contragolpes. Nos segundos finais, Jedrzejczyk quase nocauteou a adversária com uma série de socos, que desnortearam a canadense, que foi salva pelo gongo.

Na quinta e decisiva parcial, Letourneau precisava de um nocaute ou uma finalização, mas se apresentou fisicamente incapaz de atingir tais objetivos. Assim, a canadense continuou a ser atingida na maioria das trocas de golpes com a polonesa, que mais uma vez abusou dos chutes baixos para minar a movimentação da rival. Nos segundos finais, a campeã ainda acabou sofrendo uma dedada involuntária no olho, mas voltou rapidamente para o combate. Joanna terminou o duelo caminhando para frente e atacando Valerie.

Após os cinco assaltos, Joanna manteve seu título com uma decisão unânime dos jurados (49×46, 49×46 e 50×45). “Eu sabia que seria duro. A gente não vai vencer sempre dando show, mas eu quero lutar sempre dando o meu melhor. Por isso temos que respeitar a Valerie e eu dei o meu melhor”, disse a campeã, ainda no octógono.

Hangout especial debate UFC 193

Ainda sem fôlego após a incrível zebra da luta principal do UFC 193? Em busca de resposta para o que aconteceu em Melbourne? Pois então anote na agenda: nesta segunda-feira (16), a partir das 20h (Horário de Brasília), o SUPER LUTAS realiza uma edição especial do HANGOUT SUPER LUTAS debatendo em todos os detalhes a histórica derrota de Ronda Rousey. Fique ligado e acompanhe em nosso canal no YouTUBE.

Confira os resultados do UFC 193:

CARD PRINCIPAL

Holly Holm venceu Ronda Rousey por nocaute (chute alto e socos) aos 59s do R2;

Joanna Jedrzejczyk venceu Valérie Létourneau em decisão unânime dos juízes (49×46, 49×46 e 50×45);

Mark Hunt venceu Antônio Pezão por nocaute (socos) 3m41s do R1

Robert Whittaker venceu Uriah Hall por decisão unânime dos juízes (30×27, 30×27 e 29×28);

Jared Rosholt venceu Stefan Struve em decisão unânime dos juízes (29×28, 29×28 e 29×28)

CARD PRELIMINAR

Jake Matthews venceu Akbarh Arreola por TKO (interrupção médica) no R2.

Kyle Noke nocauteou Peter Sobotta (golpes no corpo) aos 2m07s do R1;

Gian Villante nocauteou Anthony Perosh (cruzado de encontro) aos 3m56s do R1;

Danny Martinez derrotou Richie Vaculik em decisão unânime dos juízes (30×27, 30×27 e 30×27)

Dan Kelly venceu Steve Montgomery em decisão unânime dos juízes (29×28, 29×28 e 29×28);

Richard Walsh venceu Steve Kennedy em decisão unânime dos juízes (29×28, 30×27 e 30×27);

James Moontasri venceu Anton Zafir por TKO (chute e soco giratório) aos 4m36s do R1;

Ben Nguyen finalizou Ryan Benoit com um mata-leão aos 2m35s do R1.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments