Cinco motivos para assistir o UFC São Paulo, com Jacaré, Shogun, Do Bronx e mais 10 brasileiros

O Ultimate retorna ao Brasil em um card repleto de atletas tupiniquins e promete agitar o sábado dos fãs de MMA na capital paulista

R.Jacaré sobe de peso e encara Blachowicz no UFC São Paulo. Foto: Reprodução/Facebook RonaldoJacareSouza

Desde que Royce Gracie chocou o mundo ao vencer a primeira edição do UFC, os fãs das artes marciais olham para o Brasil de uma forma diferente. Neste sábado (16), o Ultimate chega pela terceira vez, em 2019, em território tupiniquim e traz para os entusiastas do esporte um card com 24 apresentações, incluindo lendas e promessas do MMA nacional.

Veja Também

VÍDEO: Markus Maluko faz valer o apelido e aparece fantasiado de Coringa na pesagem do UFC São Paulo
Comissão Brasileira de MMA admite erro na pesagem de Vanessa Melo e Tracy Cortez no UFC São Paulo

Na luta principal da noite, o público finalmente poderá ver como Ronaldo Jacaré, ex-campeão do ‘Strikeforce’ e respeitado atleta dos médios, se sairá em sua estreia na categoria dos meio-pesados (até 93kg.). O capixaba trocará forças com o perigoso Jan Blachowicz e espera vencer para, de cara, entrar na elite da categoria.

O combate co-principal terá a presença de um atleta da velha-guarda do MMA. Maurício Shogun, ídolo do PRIDE e ex-campeão meio-pesado da empresa tentará provar a boa fase em confronto contra Paul Craig.

Além das duas estrelas, o card contará com mais 15 lutadores, que subirão no octógono para defender a bandeira brasileira e agitar o público presente no Ginásio do Ibirapuera.

O evento está programado para iniciar às 19h (horário de Brasília), enquanto o principal tem previsão de começar às 22h (horário de Brasília).

Para entrar no clima, a equipe do SUPER LUTAS selecionou cinco motivos para acompanhar o UFC São Paulo. Confira:

1 ) Jacaré e a caça do cinturão

R. Jacaré em ‘media day’ para o UFC São Paulo. Foto: Reprodução/VH Gonzaga

Desde que estreou no UFC, em maio de 2013, Ronaldo foi considerado um dos sérios candidatos a ostentar o cinturão do peso médio da companhia. Com um título do ‘Strikeforce’ no currículo, o atleta chegou para assombrar a divisão, que já foi dominada por Anderson Silva.

Considerado, por muitos, um injustiçado pela empresa, Jacaré nunca teve a chance de lutar pelo posto de número um. Foram necessários oito combates para que o brasileiro sentisse pela primeira vez o gosto da derrota dentro do Ultimate.

Mesmo sendo batido, Ronaldo conseguiu se recuperar e, após bater Vitor Belfort e Tim Boetsch se aproximou de uma disputa de cinturão. Para isso, precisaria vencer aquele que viria a se tornar o campeão da divisão: Robert Whittaker. O capixaba acabou derrotado e se afastou do título.

Após o revés, o atleta se aproximou da chance de atuar pela cinta em mais três oportunidades, mas acabou falhando no restante.

Com derrota em abril para Jack Hermansson, o sonho da hegemonia nos médios acabou se afastando ainda mais. Longe do título, Ronaldo optou por se testar na categoria dos mais pesados. O atleta irá realizar seu debute na divisão reinada por Jon Jones e espera que no novo grupo possa realizar o sonho de ter no currículo a honra de ser campeão do UFC.

2) Ronaldo x Blachowicz

J. Blachowicz (esq.) e R. Jacaré (dir.) em encarada pelo UFC São Paulo. Foto: VH Gonzaga

Se Jacaré gosta de desafios, a divisão dos meio-pesados será um prato cheio. Para chegar ao cinturão, que hoje pertence ao inquestionável Jon Jones, o atleta terá que se testar contra grandes adversários, literalmente.

Seu primeiro obstáculo será o polonês Jan Blachowicz, que, recentemente aplicou um nocaute avassalador em um velho conhecido do brasileiro: Luke Rockhold. O norte-americano, ex-campeão dos médios, tentou a sorte na divisão de cima e acabou se dando mal, quando foi surpreendido pela força dos punhos de Jan.

Assim como Luke, outro ex-campeão dos médios não teve sorte na subida de divisão. Chris Weidman recentemente foi batido pelo promissor Dominick Reyes.

Para vencer, Jacaré deve se espelhar nos erros de seus antigos companheiros de categoria e evitar ser surpreendido pela força dos adversários.

Caso derrote Blachowicz, atual sexto no ranking, Ronaldo entrará oficialmente no radar da categoria e poderá, caso siga vencendo, ser um desafiante ao título em breve.

3) Shogun x Paul Craig

M. Shogun (esq.) encara P; Craig (dir.) no UFC São Paulo. Foto: VH Gonzaga

Sempre que Maurício Shogun realiza um combate, os fãs de MMA tem a certeza que, vencendo ou perdendo, estão assistindo a uma lenda ainda em atividade. Mesmo que seja relativamente jovem, o curitibano faz parte do grupo que ajudou a promover o esporte no mundo.

O lutador, que foi ídolo do extinto PRIDE, é ex-campeão do Ultimate e, neste sábado, realizará sua 38ª apresentação na carreira, que foi iniciada em 2002.

Com 17 anos de carreira completados recentemente, o atleta ainda empolga em seus combates, mostrando a raça que o fez famoso mundialmente no esporte.

Contra Craig, o curitibano irá tentar seu 27º triunfo e, diante do inflamado público brasileiro, pode voltar a almejar grandes conquistas dentro da categoria.

4) Do Bronx e a busca pela elite dos leves

C. Do Bronx vai lutar no UFC São Paulo. Foto: Reprodução / Twitter @ufc

Após diversas vitórias convincentes desde que estreou pelo UFC, Charles do Bronx caiu nas graças dos fãs brasileiros. Considerado um dos mais perigosos finalizadores do Ultimate, o paulista chega ao UFC São Paulo na intenção de vencer para, assim, poder desafiar um combatente bem ranqueado na divisão dos leves (até 70,3kg.), que hoje é dominada por Khabib Nurmagomedov.

Há tempos, Chales mostra estar pronto para atuar na elite de uma das categorias mais desafiadoras da organização. Vindo de cinco vitórias consecutivas, o atleta, neste sábado, irá encarar Jared Gordon e precisa vencer para realizar o sonho de poder figurar de vez entre os melhores da divisão.

5) UFC e o Brasil

R. Gracie (esq.) e K. Shamrock (dir.) em luta pelo Ultimate em 1995. Foto: Reprodução/YouTube UFC

Se não houvesse lutadores brasileiros, haveria UFC? Essa é uma pergunta que nunca saberemos com certeza.

Muitos não sabem, mas um dos idealizadores do Ultimate é nascido no Brasil. O octógono e a ideia de colocar em combate atletas de múltiplas modalidades de arte marcial surgiram da cabeça de Rorion Gracie. No início dos anos 90, o carioca se apegou no modelo do jogo eletrônico, ‘Mortal Kombat’.

A ideia era promover o encontro de diferentes estilos de luta e, assim, poder, ao fim, saber qual era o mais eficiente. Um dos intuitos era, também, difundir o jiu-jitsu como modelo eficaz de confronto pessoal sobre as demais artes.

Royce Gracie, irmão de Rorion, se tornou, em novembro de 1993, o primeiro homem a vencer o tornei, no qual os lutadores realizavam mais de uma luta na mesma noite.

A partir daí, o público tupiniquim começou a tomar gosto pelo espetáculo, assim como o restante do mundo, que, além de conhecer o jiu-jitsu, passou a se interessar por um esporte que já foi proibido em diversos países.

Os anos se passaram e, hoje, existem fãs de MMA no mundo todo e o Ultimate acabou se firmando como a maior empresa de artes marciais mistas até o momento.

O brasil é considerado um dos maiores celeiros de atletas para o esporte e já teve diversos campeões na companhia, como Anderson Silva, Rodrigo Minotauro, Fabrício Werdum, José Aldo, Amanda Nunes, Cris Cyborg, Renan Barão, Lyoto Machida e outros.

Ficha técnica do UFC São Paulo

DIA: 16 de novembro de 2019

HORA: A partir das 19h (horário de Brasília)

LOCAL: Ginásio do Ibirapuera, São Paulo, Brasil

COMO ASSISTIR: SUPER LUTAS (as duas primeiras lutas AO VIVO) e canal Combate (todo o card)

CARD PRINCIPAL (22h, horário de Brasília)

Peso meio-pesado (até 93kg.): Ronaldo Jacaré x Jan Blachowicz

Peso meio-pesado (até 93kg.): Maurício Shogun x Paul Craig

Peso leve (até 70,3kg.): Charles do Bronx x Jared Gordon

Peso médio (até 83,9kg.): Antônio Arroyo x André Sergipano

Peso médio (até 83,9kg.): Markus Maluko x Wellington Turman

CARD PRELIMINAR (19h, horário de Brasília)

Peso meio-médio (até 77kg.): Serginho Moraes x  James Krause

Peso pena (até 65,7kg.): Ricardo Carcacinha x  Eduardo Garagorri

Peso leve (até 70,3kg.): Francisco Massaranduba x  Bobby Green

Peso meio-médio (até 77kg.): Warlley Alves x  Randy Brown

Peso pena (até 65,7kg.):  Douglas D’Silva x Renan Barão

Peso mosca (até 56,7kg.): Ariane Lipski x Isabella de Pádua

Peso galo (até 61,2kg.): Vanessa Melo x Tracy Cortez

 

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments