Júnior Cigano abre as portas para luta contra Fedor Emelianenko e não descarta migração ao boxe | SUPER LUTAS

Júnior Cigano abre as portas para luta contra Fedor Emelianenko e não descarta migração ao boxe

Brasileiro, que deixou o Ultimate em março, diz que deseja encarar Fedor na Rússia e fala sobre possível desafio na ‘nobre arte’

J. Cigano deseja enfrentar F. Emelianenko na Rússia. Foto: Reprodução/Instagram

Ex-campeão dos pesados (até 120,2kg.) do UFC, Júnior Cigano deseja enfrentar o lendário Fedor Emelianenko em sua próxima apresentação. Em entrevista ao ‘Combate’, o brasileiro relembrou rivalidade do ‘Último Imperador’ com Minotauro, revela ser fã e quer enfrentá-lo na Rússia.

Veja Também

“Essa luta é algo que me interessa bastante. As pessoas são responsáveis junto à minha carreira estão conversando com Scott Coker. (…). Sou um admirador do trabalho e da história do Fedor, com toda aquela rixa que existia entre ele e Minotauro, numa época mágica do nosso esporte. Poder fazer essa luta com ele seria espetacular, principalmente ter uma vitória diante de uma lenda. Isso me motiva bastante, me traz um fôlego especial (…). (Lutar) na Rússia seria algo bastante diferente, com bastante energia, mas acho que saberia focar no que preciso fazer”, disse Cigano.

Apesar de expor a vontade de encarar Fedor, Cigano diz que pode ser mais um a migrar ao boxe em um futuro próximo. O catarinense, inclusive, não descarta que sua próxima luta aconteça já na ‘nobre arte’.

“Uma coisa que tem chamado a minha atenção e que sou extremamente apaixonado, e que acho que seria um próximo passo bastante importante e diferenciado para a minha carreira, é uma luta de boxe. Temos tido algumas conversas em relação a isso, mas, mais uma vez, nada com uma definição”, concluiu o lutador.

Campeão no UFC entre 2011 e 2012, o catarinense fez história na empresa como um dos maiores representantes do Brasil entre os pesados. Nos últimos anos, porém, Júnior não viveu um bom momento. A dispensa do atleta se deu após uma sequência de quatro derrotas consecutivas – todas por nocaute. Aos 37 anos, Cigano se profissionalizou no MMA em 2006. Em 30 compromissos no esporte, o catarinense, hoje, soma 21 vitórias e nove derrotas.

Ícone do PRIDE, Emelianenko tem 46 apresentações nas artes marciais mistas. O veterano ostenta um cartel com 39 triunfos, seis reveses e uma luta ‘sem resultado’. Ao longo de sua carreira, o russo bateu nomes como Quinton Jackson, Pedro Rizzo, Chael Sonnen, Mirko Cro Cop, Mark Hunt, Rodrigo Minotauro e Ricardo Arona.

Comentários

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments