Dillashaw repete a dose, atropela Barão e defende cinturão no UFC Chicago

Mostrando as mesmas armas de seu primeiro triunfo, campeão nocauteou desafiante brasileiro no quarto assalto; Miesha Tate vence e se aproxima de chance pelo título

Dillashaw (foto) defendeu o cinturão dos galos pela segunda vez. Foto: Josh Hedges/UFC

Dillashaw (foto) defendeu o cinturão dos galos pela segunda vez. Foto: Josh Hedges/UFC

Parecia uma reprise da primeira luta entre TJ Dillashaw e Renan Barão. Pouco mais de um ano e dois meses depois do encontro original entre os rivais, o norte-americano repetiu sua atuação dominante, não deu chances para o brasileiro e defendeu o cinturão dos galos na luta principal do UFC on FOX 16, na noite deste sábado (25), em Chicago (EUA).

Veja Também

Assista os melhores momentos da luta entre TJ Dillashaw x Renan Barão
Em duelo eletrizante, Edson Barboza bate Paul Felder no UFC Chicago
Afastado por lesão, Cruz mira voltar até o fim do ano e reconquistar o título do UFC
Miesha Tate diz que aceitaria enfrentar Cris Cyborg em peso casado: ‘Seria uma grande honra’
Wanderlei Silva insiste que UFC tem ‘lutas compradas’ e garante: ‘Posso provar isso!’

Muito mais rápido e dinâmico que Barão, Dillashaw controlou a distância no duelo e, como já havia feito na noite em que roubou o cinturão do brasileiro, usou sua trocação afiada pelas mãos de Duane “Bang ” Ludwig para levar a melhor no combate com um nocaute logo no início do quarto assalto.

Barão, por sua vez, apesar de ter mostrado evolução em alguns pontos cruciais em sua derrota em maio do ano passado, não foi páreo para a movimentação intensa de Dillashaw e sofreu muito com a precisão dos golpes do rival, ao passo que apresentava nítida dificuldade para conectar seus próprios ataques.

Outro ponto fundamental para o triunfo de Dillashaw foi o gás dos atletas. Embora o norte-americano também tenha mostrado sinais de desgaste ao longo da luta, Barão parecia completamente exausto já no segundo assalto, cansaço que foi intensificado pela estratégia de TJ no clinch.

Com o triunfo, TJ Dillashaw ampliou seu cartel para 12 vitórias e duas derrotas no MMA. Já Renan Barão, sofreu seu terceiro revés como profissional, o segundo para Dillashaw.

A luta

Logo de cara, Dillashaw tentou desestabilizar o brasileiro mentalmente, com a guarda baixa e muita movimentação. Rapidamente, Barão tratou de marcar presença e acertou o rival com um chute frontal. Porém, o norte-americano conseguiu se impor na trocação e conectou pelo menos golpes duros, que abalaram o potiguar. Na reta final do assalto, o campeão abusou das provocações e chamou Renan pra luta, mas acabou sofrendo alguns golpes na trocação franca.

Na segunda etapa, Dillashaw iniciou novamente com jabs certeiros no rosto de Barão, que rapidamente aceitou o clinch e levou a luta para a grade. De volta à trocação, Barão conseguiu encaixar um bom chute baixo de encontro, que desestabilizou o campeão, derrubando-o. No soar do gongo, os dois não se desgrudaram e o norte-americano acertou um golpe no brasileiro após o sinal sonoro.

No terceiro round, visivelmente cansado, Barão teve dificuldades para se encontrar na trocação e tentou uma queda desesperada, favorecendo Dillashaw, que conseguiu cair por cima do brasileiro. De volta em pé, o campeão seguiu com muita movimentação lateral, enquanto Barão insistia no menor volume de golpes, mas ataques mais potentes. No fim da parcial, TJ partiu pra cima e esteve próximo de conseguir o nocaute, mas Renan foi salvo pelo gongo.

Mas Dillashaw veio decidido a encerrar o combate logo no início do quarto round. Sentindo o bom momento, e percebendo a condição do rival, o norte-americano enquadrou Barão na grade e, com uma saraivada de golpes, conseguiu nocautear o brasileiro em pé, que foi salvo pela intervenção do árbitro Herb Dean.

Em sua entrevista após o triunfo, o campeão foi economico em suas palavras, mas elogiou sua atuação e o brasileiro Renan Barão. “Eu fui mais agressivo no começo. Eu estou muito orgulho do meu desempenho, mas ele é muito bom também”, disse, ao comentarista Joe Rogan. Di

Sem dificuldades, Miesha domina Eye e se aproxima do cinturão

Miesha (foto) faturou sua quarta vitória consecutiva no octógono. Foto: Josh Hedges/UFC

Miesha (foto) faturou sua quarta vitória consecutiva no octógono. Foto: Josh Hedges/UFC

No início da luta, Miesha vinha levando enorme desvantagem na trocação e sendo frustrada por Eye, ao ponto de insistentemente buscar o jogo de chão. Porém, de forma surpreendente, a ex-campeão do Strikeforce conseguiu um knockdown duríssimo a menos de dois minutos para o fim da parcial e passou o fim do round atacando a rival no ground and pound.

No segundo round, Miesha voltou a tocar bastante o rosto de Eye, com golpes duros, que garantiram outro knockdown para a ex-desafiante. Mais uma vez por cima no chão, Tate esteve perto de conseguir a finalização com uma guilhotina, mas, com pouco tempo no relógio, Jessica foi salva pelo gongo.

Com a vantagem, Miesha fez apenas o suficiente para administrar o terceiro round. Levando pequena desvantagem na luta em pé, Tate tratou quedar Eye rapidamente e só se levantou novamente após a intervenção do árbitro Yves Lavigne. Nos segundos finais, a namorada de Bryan Caraway fez uso do wrestling para gastar o tempo no relógio e confirmar seu triunfo.

Após o duelo, todos os três juízes marcaram 30 a 27 para Miesha Tate. Embora não tenha sido confirmado pela organização do Ultimate, é provável que Miesha seja a próxima desafiante ao cinturão peso galo, que será disputada entre Ronda Rousey e Bethe Pitbull, no próximo sábado (1), no Rio.

Confira abaixo os resultados do UFC on FOX 16:

TJ Dillashaw venceu Renan Barão por nocaute técnico (socos) aos 35s do R4;

Miesha Tate venceu Jessica Eye em decisão unânime dos juízes (30×27, 30×27 e 30×27);

Edson Barboza venceu Paul Felder em decisão unânime dos juízes (29×28, 29×28 e 29×28);

Joe Lauzon venceu Takanori Gomi por nocaute técnico (socos) aos 2m37s do R1;

CARD PRELIMINAR

Tom Lawlor venceu Gian Villante por nocaute técnico (direto no queixo) aos 27s do R2;

Jim Miller venceu Danny Castillo em decisão dividida dos juízes (30-27, 28-29 e 29-28);

Ben Saunders venceu Kenny Robertson em decisão dividida dos juízes (29-28, 28-29 e 29-28);

Bryan Caraway venceu Eddie Wineland em decisão unânime dos juízes (29-28, 29-28 e 30-27);

James Krause finalizou Daron Cruickshank com um mata-leão a 1m27s do R1;

Andrew Holbrook venceu Ramsey Nijem por decisão dividida dos juízes (29-28, 28-29 e 29-28);

Elizabeth Phillips venceu Jessamyn Duke por decisão unânime dos juízes (29-28, 29-28 e 29-28);

Zak Cummings venceu Dominique Steele por TKO (socos) aos 43s do R1.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments