Massaranduba se recupera de derrota para Hernandez e vence Green no UFC São Paulo

Brasileiro tem duro desafio, mas supera adversidades no confronto e tem o braço erguido na decisão dos juízes

F. Massaranduba (esq.) derrotou B. Green (dir.) no UFC São Paulo. Foto: Reprodução/Facebook UFC

O público brasileiro presente no UFC São Paulo, neste sábado (16), foi ao delírio após Francisco Massaranduba, um dos atletas mais queridos da organização, vencer Bobby Green na decisão unânime dos juízes. Após três rounds muito disputados, o brasiliense teve seu braço levantado e agitou os fãs presentes na Ginásio do Ibirapuera.

Veja Também

Massaranduba se recupera de derrota para Hernandez e vence Green no UFC São Paulo
Cinco motivos para assistir o UFC São Paulo, com Jacaré, Shogun, Do Bronx e mais 10 brasileiros
Comissão Brasileira de MMA admite erro na pesagem de Vanessa Melo e Tracy Cortez no UFC São Paulo

O desafio de Massaranduba neste final de semana era difícil. O combatente precisava se recuperar da derrota polêmica sofrida para Alexander Hernandez, em combate que aconteceu em julho. Na ocasião, o brasileiro contestou a decisão dos juízes e ainda pediu a bolsa da vitória para o UFC.

Contra Green, o atleta precisava reencontrar o caminho das vitórias. Do outro lado, Bobby também precisava se recuperar de sua última atuação, quando foi batido por Dakkar Klose, em dezembro do ano passado.

Os dois atletas buscaram o confronto durante todos os momentos e foram aplaudidos pelo público em diversas situações.

Com o triunfo, Francisco, de 41 anos, segue ativo na divisão dos leves (até 70,3kg.) e busca entrar no ranking oficial do grupo, que hoje é dominado por Khabib Nurmagomedov.

A luta

Massaranduba começou o combate aceitando a trocação franca conta Green. Logo no início, o atleta desferiu um cruzado, que balançou o norte-americano. Francisco, então, continuou atacando o oponente e conseguiu aplicar uma queda. O brasileiro arriscou uma finalização, levantando o público, mas o oponente conseguiu se defender. Em seguida, Bobby tentou descontar na mesma moeda e buscou atacar o pescoço do brasiliense. Até o fim do assalto, Green pressionou Massaranduba e deixou o atleta em situação de desconforto no combate.

Na segunda etapa, os dois combatentes pareciam se estudar mais. Com menos golpes desferidos, Francisco buscava o melhor momento para atacar. Passados três minutos, o brasiliense arriscou uma sequência de jabs e cruzados, que tocaram o rival, mas que não abalaram o norte-americano. Mais tranquilo, Bobby atuava com a guarda baixa e explorava o contra-ataque para tentar surpreender Francisco. Os atletas terminaram o assalto trocando golpes no centro do octógono.

Na última etapa, Francisco partiu para cima do oponente. O aleta tentou surpreender, logo no início, com uma combinação de socos, mas Green permanecia atento nas defesas e, após o brasileiro atacar as pernas, arriscou uma chave de pescoço no brasiliense. Massaranduba consegue se recuperar e arrisca joelhadas em Bobby, que se defendia. O combate, então retornou para o centro do octógono. Chegando ao fim, O brasileiro ensaiou uma queda, mas aplicou um bom cruzado no rosto do adversário.

Douglas D’ Silva vence e aumenta crise na carreira de Barão

D. D’Silva em vitória pelo UFC. Foto: Reprodução/Facebook douglasdsilva

No segundo confronto entre brasileiros do UFC São Paulo, Douglas D’Silva foi o responsável por colocar mais peso na má fase de Renan Barão, ex-campeão dos leves da companhia. No confronto que começou com bastante agressividade das duas partes, Barão acabou sentindo o peso das mãos do rival em algumas oportunidades e, ao fim de três rounds, acabou sendo declarado o derrotado na decisão unânime dos juízes. O revés marcou a quinta derrota seguida de Renan, que não vence desde 2016.

Os dois atletas começaram a disputa se estudando bastante. Douglas tomava mais a iniciativa do duelo, tentando combinações de socos e chutes. Barão parecia estudar o oponente e tentar achar a distância para conectar o melhor golpe. Passados dois minutos, Renan conseguiu aplicar uma boa queda em D’Silva e levantou o público presente no Ginásio do Ibirapuera. Douglas conseguiu se levantar e conseguiu conectar uma boa sequência de socos, que balançaram o ex-campeão dos moscas. Barão, no entanto, conseguiu se recuperar e o duelo voltou a ser disputado no centro do octógono.

O combate entre os brasileiros continuou agitado na segunda etapa. Com agressividade pelas duas partes, os combatentes agitavam o público a cada golpe desferido. Renan Barão, passados dois minutos, voltou a derrubar Douglas e passou a controlar o tempo no confronto. Após pouca ação, árbitro solicitou que o combate voltasse a ser disputado de pé. Restando 40 segundos para acabar a etapa, a luta foi paralisada para que o médico do UFC analisasse um corte no olho esquerdo de Barão. O profissional, então, permitiu que a peleja retornasse. Renan voltou para o confronto partindo para cima de Douglas e desferindo dois cruzados, que tocaram o compatriota, mas não havia tempo para mais nada.

Na última etapa, os combatentes entraram para a trocação franca. Visivelmente desgastados, alguns golpes começavam a entrar limpos rosto de ambos, até que Barão voltou a derrubar D’Silva e somar mais pontos para o resultado final. Douglas permanecia querendo a disputa em pé e, restando dois minutos, surpreendeu o potiguar com um cruzado potente, que balançou o rival. Com o rosto ensanguentado, Renan mostrava raça, mas já não tinha o mesmo ímpeto do início do confronto. Nos segundos finais, D’Silva tentou um chute rodado, que explodiu na guarda de Renan, que só se defendia. O combate, então, foi levado para a decisão dos juízes.

Sob vaias, Ariane Lipski derrota Isabela de Pádua na decisão unânime dos juízes

A. Lipski comemora vitória no UFC São Paulo. Foto: Reprodução/Instagram @ufc_brasil

Mesmo tendo conquistado sua primeira vitória desde que estreou pelo Ultimate, Ariane Lipski não levará uma boa lembrança, pelo menos a princípio, do evento na capital paulista. Depois de três rounds bem disputados, a atleta, que aceitou uma substituição de oponente pouco mais de 24 horas antes do confronto, triunfou sobre a compatriota, mas acabou sendo vaiada após o anúncio oficial do Bruce Buffer.

Lipski começou o confronto logo partindo para cima de Isabela, que, nos primeiros segundos acusou uma sequência de socos da curitibana e foi ao chão. Ariane tentou encerrar o duelo, mas Pádua se defendeu bem e conseguiu sair do momento ruim. O combate voltou a ser disputado de pé e Lipski continuou sendo agressiva, tentando golpes contundentes. Um jab, seguido de um direto voltou a abalar Isabela, mas a combatente consegui aplicar uma boa queda em Ariane e caiu por cima. Pádua, então, passou a golpear a curitibana com alguns duros golpes de cima para baixo. A peleja foi disputada no chão até o fim do assalto.

O combate voltou agitado, com as lutadoras trocando socos no centro do octógono. Com a intenção de continuar lutando no chão, Isabela tratou de levar a disputa para o chão. Ariane se defendeu e acabou caindo por cima e passou a dominar o duelo. O combate foi interrompido após, por baixo, Pádua desferir um chute ilegal no rosto de Lipski. A atleta foi punida com um ponto e o duelo recomeçado na posição em que estavam. Restando um minuto para o fim da etapa, Ariane seguia atacando a rival com socos de cima para baixo. No fim do round, Isabela tentou uma finalização e quase levou a adversária a bater em desistência.

No último assalto, Pádua, logo nos segundos iniciais, voltou a aplicar uma boa queda na curitibana. Em desvantagem, Lipski tentava se defender das investidas da oponente, mas Isabela seguia tentando resolver o combate longe da decisão dos juízes, já que perdeu um ponto no round anterior. Restando pouco mais de um minuto para o fim da luta, Ariane conseguiu reverter a posição e acabou ficando por cima, desferindo golpes e tentando pontuar e vencer o duelo.

Resultados do UFC São Paulo

CARD PRINCIPAL

Peso meio-pesado (até 93kg.): Jan Blachowicz derrotou Ronaldo Jacaré na decisão dividida dos juízes (48-47 47-48 48-47)

Peso meio-pesado (até 93kg.): Maurício Shogun empataram Paul Craig na decisão dividida dos juízes (29-28, 28-29, 28-28)

Peso leve (até 70,3kg.):Charles do Bronx derrotou Jared Gordon por nocaute a 1m26s do R1

Peso médio (até 83,9kg.): André Sergipano derrotou Antônio Arroyo na decisão unânime dos juízes (30-27, 30-27, 30-27)

Peso médio (até 83,9kg.): Wellington Turman derrotou Markus Maluko na decisão unânime dos juízes (30-27 30-27 30-27)

CARD PRELIMINAR

Peso meio-médio (até 77kg.): James Krause derrotou Serginho Moraes por nocaute a 4m19s do R3

Peso pena (até 65,7kg.): Ricardo Carcacinha finalizou Eduardo Garagorri com um mata-leão a 3m57s do R1

Peso leve (até 70,3kg.): Francisco Massaranduba derrotou Bobby Green na decisão unânime dos juízes (29-28 30-27 29-28)

Peso meio-médio (até 77kg.): Randy Brown finalizou Warlley Alves com um triângulo a 1m22s do R2

Peso pena (até 65,7kg.): Douglas D’Silva derrotou Renan Barão na decisão unânime dos juízes (30-27 30-26 30-27)

Peso mosca (até 56,7kg.): Ariane Lipski derrotou Isabela de Pádua na decisão unânime dos juízes (30-26, 29-27, 30-26)

Peso galo (até 61,2kg.): Tracy Cortez derrotou Vanessa Melo na decisão unânime dos juízes (30-27, 29-28, 30-27)

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments