Cinco motivos para assistir o UFC 248 com duas disputas de cinturão, Adesanya e três brasileiros

Israel Adesanya e Weili Zhang fazem suas primeiras defesas de títulos contra Yoel Romero e Joanna Jędrzejczyk; três brasileiros estão escalados para o espetáculo deste sábado

I. Adesanya (esq.) faz sua primeira defesa de cinturão contra Y. Romero (dir.) no UFC 248. Foto: Montagem SL/MMA Press

Conhecida como a ‘Cidade do Entretenimento’, Las Vegas (EUA) receberá um card que promete agitar o final de semana dos apaixonados por MMA. Com duas disputas de cinturão, o UFC 248, que acontece neste sábado (7), apresentará ao público 12 combates e muita emoção.

Veja Também

Vídeo: Adesanya provoca Romero com charuto cubano em pesagem do UFC 248
Como assistir o UFC 248, com Israel Adesanya na luta principal, AO VIVO pela televisão e internet
Recuperado de lesão, Borrachinha sugere luta pelo cinturão em julho, no UFC 252
Adesanya confirma desejo de enfrentar Borrachinha após Romero: ‘Vou pegá-lo antes que a USADA o pegue’

Na luta principal, Israel Adesanya terá o compromisso de vencer em sua primeira defesa do título dos médios (até 83,9kg.). O nigeriano trocará forças contra o perigoso Yoel Romero e tentará manter sua invencibilidade na carreira.

Antes da última luta, no entanto, o Ultimate apresentará a luta entre a campeã das palhas (até 52,1kg.), Weili Zhang, contra a antiga número um da categoria, Joanna Jędrzejczyk. A disputa confirmará se a chinesa permanecerá como ‘rainha’ da categoria ou se a polonesa voltará ao seu antigo posto.

O card também contará com três apresentações de brasileiros. No card preliminar, Polyana Viana e Rodolfo Vieira levarão o verde e amarelo para o octógono. No principal, Alex Cowboy faz a ‘luta da vida’ contra Max Griffin.

O evento tem início às 20h30 (horário de Brasília) e, por volta das 0h, começarão as principais apresentações.

Para entrar no clima, nossa equipe selecionou cinco motivos para acompanhar o UFC 248. Confira:

1) Israel Adesanya x Yoel Romero

I. Adesanya conquista cinturão absoluto dos médios no UFC 243 . Foto: Reprodução / Facebook @ufc

Neste sábado, Israel Adesanya terá um dos compromissos mais duros de sua carreira. O atleta terá pela frente um dos adversários mais temidos da categoria e precisa vencer para provar que não é apenas dono de um talento momentâneo no esporte.

Esta será a primeira defesa de cinturão de Israel, que se tornou campeão depois de bater o antigo número um, Robert Whittaker na luta principal do UFC 243, em outubro do ano passado. O combate era válido pela unificação do título e o nigeriano atropelou o australiano na ocasião.

O desafio contra Romero foi um pedido pessoal de Adesanya ao Ultimate. Impossibilitado de enfrentar Paulo Borrachinha, que se recuperava de uma cirurgia no bíceps, o lutador optou por encarar Romero, que vem de dois reveses consecutivos. O pedido desagradou uma parcela dos fãs e foi criticado por parte da imprensa especializada. No entanto, o retrospecto negativo do cubano não afasta as qualidades do atleta e histórico no MMA.

2) Juventude x Experiência

I. Adesanya (esq.) e Y. Romero (dir.) em encarada para o UFC 248. Foto: Reprodução/Instagram @ufc

12 anos mais novo que o rival, Israel terá, neste final de semana, mais uma prova de fogo que envolve encarar um oponente bem mais velho. Esta situação não é inédita na carreira do nigeriano, já que o campeão, em fevereiro do ano passado, enfrentou e venceu o lendário Anderson Silva na luta principal do UFC 234.

Embora não tenha tido vida fácil no combate contra ‘Spider’, o brasileiro atualmente não se encontra na melhor fase da carreira. Romero, por sua vez, pode ser considerado um rival de maior risco ao cartel impecável do nigeriano.

O encontro com o cubano representará a 19ª luta de Israel em sua carreira como profissional no MMA. O peso médio nunca amargou uma derrota na carreira.

3) Zhang x Jędrzejczyk: campeã e ex-campeã

W. Zhang (esq.) e J. Jędrzejczyk (dir.) se enfrentam no UFC 248. Foto: Montagem SL/MMA Press

Ao conquistar o cinturão das palhas depois de ter batido Jéssica Andrade na luta principal do UFC Shenzhen, em agosto do ano passado, Weili Zhang abriu as portas do MMA na China após se tornar a primeira atleta do país a ostentar um título pelo Ultimate. A lutadora, no entanto, terá uma grande prova de fogo neste final de semana ao encarar uma antiga conhecida dos fãs do esporte.

Joanna, que passou por uma fase instável na sua carreira, conseguiu recuperar o bom momento e se credenciou a enfrentar a chinesa depois de uma atuação de gala na vitória sobre Michelle Waterson no UFC Tampa. Após vencer e convencer, a polonesa conquistou o direito de desafiar Zhang, que fará sua primeira defesa de cinturão.

Além do desafio de recuperar o título, Jędrzejczyk terá o dever de encerrar uma invencibilidade da rival que já dura 19 apresentações e seis anos. Weili foi batida em apenas uma ocasião, curiosamente em sua estreia no esporte. Após o episódio, a chinesa não soube mais o que é ser derrotada.

Joanna foi campeã da categoria entre 2015 e 2017. A combatente defendeu o título em cinco ocasiões até perdê-lo em 2017, no encontro contra Rose Namajunas.

4) Rodolfo Vieira, a promessa dos médios

R. Vieira após estreia no UFC. Foto: Reprodução/Instagram @rodolfovieira89

Considerado um dos grandes nomes brasileiros para o futuro dos médios, Rodolfo Vieira chega, neste sábado, à sua segunda apresentação desde que assinou seu contrato com o Ultimate. Conhecido como ‘O Caçador de Faixas-Pretas’, o atleta, que é multicampeão de jiu-jitsu tem mantido a regularidade na transição da ‘arte suave’ para o MMA.

Com seis apresentações nas artes marciais mistas, o carioca segue invicto na modalidade e terá um duro compromisso contra o agressivo Saparbek Safarov. Conhecido pelo poder de nocaute, o russo terá o dever de frear o jiu-jitsu de excelência do brasileiro e interromper a invencibilidade de Vieira.

5) Alex Cowboy faz ‘luta da vida’

A. Cowboy precisa voltar a vencer pelo UFC. Foto: Divulgação / Twitter @ufc_Brasil

Em má fase no Ultimate, Alex Cowboy terá o compromisso mais importante em sua carreira no UFC. Vindo de três reveses consecutivos, o atleta de Três Rios (RJ) terá pela frente o norte-americano Max Griffin.

Cowboy, que já foi considerado um dos grandes talentos entre os meio-médios (até 77kg.), não vence desde o triunfo sobre Carlo Pedersoli, em setembro de 2018. Fora do ranking da categoria, hoje, o brasileiro se preocupa em manter seu contrato com a organização, que costuma dispensar atletas com seguidas derrotas.

Alex não atua desde o resultado negativo no embate contra Nicolas Dalby, em setembro do ano passado.

Ficha técnica do UFC 248

DIA: 7 de março de 2020

HORA: A partir das 20h30 (horário de Brasília)

LOCAL:  T-Mobile Arena, Paradise, Nevada (EUA)

COMO ASSISTIRSUPER LUTAS (as duas primeiras lutas AO VIVO) e canal Combate (todo o card)

CARD PRINCIPAL (0h, horário de Brasília)

Peso médio (até 83,9kg.): Israel Adesanya x Yoel Romero – Luta pelo cinturão

Peso palha (até 52,1kg.): Weili Zhang x Joanna Jedrzejczyk – Luta pelo cinturão

Peso leve (até 70,3kg.): Beneil Dariush x Drakkar Klose

Peso meio-médio (até 77kg.): Neil Magny x Li Jingliang

Peso meio-médio (até 77kg.): Alex Cowboy x Max Griffin

CARD PRELIMINAR (20h30, horário de Brasília)

Peso galo (até 61,2kg.): Sean O’Malley x José Quiñonez

Peso leve (até 70,3kg.): Mark Madsen x Austin Hubbard

Peso médio (até 83,9kg.): Rodolfo Vieira x Saparbek Safarov

Peso médio (até 83,9kg.): Gerald Meerschaert x Deron Winn

Peso palha (até 52,1kg.): Emily Whitmire* x Polyana Viana

Peso pena (até 65,7kg.): Giga Chikadze x Jamall Emmers

Peso galo (até 61,2kg.): Danaa Batgerel x Guido Cannetti

*Ficou cerca de 600g acima do limite da divisão.

 

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário