Aquecimento UFC 272: Saiba o que está em jogo para os cinco atletas brasileiros que subirão ao octógono

O SUPER LUTAS lembra o leitor o que está em jogo para cada integrante do Esquadrão Brasileiro, que será representado por cinco atletas nesse sábado (05)

R. dos Anjos e R. Moicano fazem confronto de brasileiros no UFC 272 Foto:

Além do aguardado duelo entre Colby Covington e Jorge Masvidal, o UFC 272 será de suma importância para os lutadores brasileiros que pisarão no octógono da T-Mobile Arena, em Las Vegas (EUA). Para aquecer o espetáculo desse sábado (05), o SUPER LUTAS conta para o leitor o que está em jogo para os cinco atletas tupiniquins que farão parte do show.

PUBLICIDADE:

LEIA MAIS: Esquenta UFC 272 – Antigos amigos, agora rivais: Por que Covington e Masvidal se odeiam tanto?

LEIA TAMBÉM: Às vésperas do UFC 272, Colby Covington repete ofensas ao Brasil: ‘é a p**** de um lixão’

PUBLICIDADE:

Veja Também

Rafael dos Anjos x Renato Moicano

R. Moicano substituiu R. Fiziev no UFC 272. Foto: Montagem SUPER LUTAS

Ex-campeão dos leves (até 70,3kg), Rafael dos Anjos retornou à divisão onde já foi rei após passagem frustrada pela categoria dos meio-médios (até 77,1kg). Com a moral de quem já ostentou o cinturão, o lutador carioca precisou apenas de uma vitória por pontos sobre Paul Felder para assumir o sexto lugar na classificação.

Sem pisar no octógono desde novembro de 2020, Dos Anjos deve conseguir uma vaga no top-5 da categoria, em caso de vitória sobre Moicano. Com Michael Chandler e Dustin Poirier derrotados recentementes pelo campeão Charles Do Bronx e  a iminência de um novo agendamento do duelo entre Islam Makhachev e Beneil Dariush, nada impede que o lutador carioca fique a apenas uma luta de uma nova disputa de cinturão, caso saia vitorioso no UFC 272.

PUBLICIDADE:

Renato Moicano talvez seja o único lutador que irá entrar ‘relaxado’ no octógono da T-Mobile Arena no UFC 272. O lutador de Brasília aceitou substituir o prospecto Rafael Fiziev, que testou positivo para Covid-19 com pouco menos de uma semana para o evento. A missão não será nada fácil: encarar o ex-campeão dos leves Rafael dos Anjos.

Ex-integrante da elite dos penas (até 65,7kg), Moicano decidiu subir de categoria após duas derrotas seguidas, para José Aldo e Zumbi Coreano. Na nova divisão, o brasileiro vem se destacando: em quatro lutas, sofreu apenas uma derrota, justamente para Rafael Fiziev, adversário que está substituindo no UFC 272.

PUBLICIDADE:

Em caso de derrota para Dos Anjos, o tropeço será considerado ‘normal’. Moicano aceitou o combate com cerca de uma semana de antecedência e, ainda por cima, lutou há pouco mais de 20 dias contra Alexander Hernandez, no UFC 271. Em caso de triunfo, não será surpresa se Renato tomar o lugar do seu adversário no sexto lugar da classificação e de quebra, passar a ser ‘notado’ pela elite da divisão.

Edson Barboza

E. Barboza comemora vitória no UFC Foto: Reprodução/Instagram

Após migrar para a divisão dos penas (até 65,7kg) em 2020 buscando novos ares na carreira, Edson Barboza terá uma de suas últimas chances de mostrar que ainda pode ser campeão do Ultimate. Em quatro apresentações na nova faixa de peso, o brasileiro conseguiu duas vitórias e duas derrotas e um novo resultado positivo, o segundo em sequência, seria um grande ‘balde de água fria’ nas pretensões futuras do atleta tupiniquim.

Após estrear na divisão dos penas com derrota para Dan Ige, a boa apresentação deixou os fãs animados com o futuro de Edson na nova faixa de peso. Os triunfos sobre Makwan Amirkhani e Shane Burgos aumentaram as expectativas, mas o revés para o prospecto Giga Chikadze frustou, mais uma vez, o atleta tupiniquim. Um novo resultado negativo, dessa vez para o prospecto invicto Bryce Mitchell, pode jogar o carioca para o ‘meio de tabela’ e, mesmo na décima colocação no ranking, afastá-lo definitivamente da elite da categoria.

Alex Cowboy

A. Cowboy (dir.) em vitória sobre M. Griffin no UFC. Foto: Reprodução/Instagram

Entre os atletas brasileiros que estarão em ação no UFC 272, Alex Cowboy é o que vive momento mais delicado dentro da organização. Vindo de três derrotas consecutivas, o lutador tupiniquim será responsável por recepcionar Kevin Holland na divisão até 77,1kg. Em caso de novo revés, o futuro do carioca na empresa irá se tornar um grande ponto de interrogação.

Contratado pelo Ultimate em 2015, Alex se destacou rapidamente na empresa com boas vitórias e com lutas quase sempre empolgantes. Porém, a partir de 2018, o brasileiro entrou em uma fase complicada na vida profissional e pessoal e desde então, venceu apenas duas vezes e sofreu seis derrotas. Seu último resultado positivo foi em julho de 2020, quando derrotou Peter Sobotta por pontos. Um novo resultado negativo para o Cowboy no UFC 272, pode causar o fim de sua passagem pela empresa.

Marina Rodriguez

M. Rodriguez (esq.) comemora vitória sobre M. Waterson Foto: Reprodução/Instagram

Mesmo ‘escondido’ no card preliminar, o duelo entre a brasileira Marina Rodriguez e a chinesa Yan Xiaonan aproximará a vencedora de uma disputa de cinturão dos palhas (até 52,2kg). As duas atletas ocupam, respectivamente, as posições três e quatro do ranking da categoria e miram suas atenções na campeã Rose Namajunas.

Contratada em 2018 após participação no reality show ‘Contender Series’, a gaúcha de Bagé fez uma caminhada quase praticamente ‘silenciosa’ do grande público. Desde a sua estreia na organização, a brasileira conquistou cinco vitórias, uma derrota e um empate na divisão até 52,2kg. Embalada por três triunfos seguidos, a atleta tupiniquim deve ficar a, no mínimo, mais um combate da disputa de cinturão, caso vença Xiaonan no próximo sábado (05).

Podcast #68: Adesanya, Poatan e Volkanovski: Tudo sobre o UFC 276