Cinco motivos para assistir o UFC 231 neste sábado

Os cinturões dos pesos penas masculino e moscas feminino são colocados em disputa durante o evento em Toronto no Canadá, neste sábado (08)

M. Holloway (esq.) e B. Ortega (dir.) se enfrentam na luta principal. Foto: Reprodução/Instagram @briantcity

A maratona de eventos em dezembro continua neste sábado. O Ultimate desembarca pela quinta vez em Toronto (CAN) e a Scotiabank Arena será a casa do MMA mundial durante o UFC 231 neste sábado (08). O show desta noite colocará em disputa os cinturões dos pesos penas masculino e moscas feminino.

Na luta principal, o campeão Max Holloway finalmente fará sua segunda defesa de título contra Brian Ortega. O confronto entre os lutadores da divisão até 66kg estava escalado para ocorrer no UFC 226 em junho deste ano, mas o campeão teve sintomas de concussão e foi retirado do duelo.

Veja Também

Max Holloway e Brian Ortega vencem a balança e confirmam luta principal do UFC 231
Presidente do UFC afirma que Holloway é ‘muito grande’ para continuar competindo nos penas

No evento co-principal, Valentina Shevchenko vai medir forças com Joanna Jedrzejczyk pelo cinturão vago dos pesos moscas feminino. O Ultimate está reeditando uma rivalidade do muay thai. As lutadoras já se enfrentaram três vezes na arte marcial tailandesa e a quirguistanesa radicada no Peru levou a melhor todas as vezes.

Além disso, o time brasileiro está reforçado com seis lutadores no evento em Toronto: Carlos Diego Ferreira abre o card preliminar contra Kyle Nelson, na sequência Dhiego Lima busca vitória sobre Chad Laprise, Gilbert Durinho vai medir forças com Olivier Aubin-Mercier e encerrando card preliminar Cláudia Gadelha enfrenta Nina Ansaroff. No card principal, Thiago Marreta encara Jimi Manuwa e Alex Cowboy encara Gunnar Nelson.

O UFC 231 inicia no sábado às 21h (horário de Brasília) com o evento preliminar. A partir das 1h começam as lutas principais.

Para você entrar no clima do UFC 231, preparamos cinco motivos para você assistir o evento.

O retorno do campeão

M. Holloway volta a lutar após um ano. Foto: Reprodução/Instagram @blessedmma

Max Holloway não luta desde em dezembro de 2017, quando nocauteou José Aldo pela segunda vez. E ele até tentou. ‘O Abençoado’, como é conhecido, buscou em três oportunidades defender o cinturão dos penas. Em março, uma lesão na perna o retirou do duelo contra Frankie Edgar. Já em abril, ele foi escalado as pressas para atuar na divisão de cima, contra Khabib Nurmagomedov. Entretanto teve problemas com o corte de peso na semana da luta e foi retirado do combate. Em julho, o campeão enfrentaria Brian Ortega, mas sentiu sintomas de concussão e foi vetado do confronto novamente.

Holloway foi escalado para encarar Brian Ortega neste sábado no Canadá. ‘T-City’ terá uma parada dura pela frente. Max venceu lutadores como Cub Swanson, Charles Oliveira, Jeremy Stephens, Ricardo Lamas e Anthony Pettis. Além de conquista o cinturão dos penas ao nocautear José Aldo no UFC 212 em junho de 2017. Em uma revanche no UFC 218, o havaiano venceu o brasileiro da mesma forma e manteve o cinturão.

Aos 27 anos, Holloway permanece invicto desde agosto de 2013, quando foi batido por Conor McGregor. O havaiano tem 19 triunfos e três reveses na carreira.

A jovem revelação do Ultimate

B. Ortega fez sua última luta em março deste ano. Foto: Reprodução/Instagram @briantcity

Brian Ortega vai entrar no octógono ainda mais preparado para encarar Max Holloway e tentar conquistar o cinturão dos penas. Isso porque o duelo estava escalado para ocorrer no UFC 226 em junho. Um novo oponente foi oferecido para o jovem lutador que preferiu esperar o rival.

Desde 2014 no Ultimate, Ortega é uma estrela em ascensão na franquia com seis vitórias em sete combates. Em seu último compromisso, Brian nocauteou Frankie Edgar no primeiro round do UFC 222 em março deste ano.

‘T-City’ em uma carreira de oito anos no MMA profissional soma 15 combates, 14 triunfos e uma luta sem resultado. Em sete oportunidades, ele venceu por finalização.

Em busca do primeiro cinturão do UFC

V. Shevchenko venceu a rival três vezes no muay thai. Foto: Reprodução/Instagram @bulletvalentina

Aos 30 anos, Valentina Shevchenko é campeã no kickboxing e muay thai, ex-desafiante ao cinturão dos galos e agora busca o cinturão vago dos pesos mosca. No UFC 228, dia 08 de setembro, a quirguistanesa iria enfrentar Nicco Montaño pelo título da divisão. Entretanto, a detentora da cinta teve problemas com o corte de peso, foi hospitalizada e teve o combate cancelado. Assim, a organização optou por retirar seu título.

Assim, Valentina esperou o Ultimate encontrar uma nova oponente para disputar o título. Para isso, a organização escalou a rival de longa data Joanna Jedrzejczyk. A peso palha subiu de categoria para poder enfrentar a oponente e conquistar a primeira vitória em quatro lutas. Entretanto, ela terá uma dura adversária pela frente.

‘Bullet’ um cartel de 18 confrontos com 15 triunfos e três reveses. Em sete oportunidades, a quirguistanesa venceu por finalização. Valentina vem de uma vitória sobre Priscila Cachoeira com um mata leão no segundo round. Desde então, Shevchenko espera para lutar pelo cinturão dos pesos mosca.

Um triunfo para entrar para história do MMA

J. Jedrzejczyk subiu de categoria para tentar conquistar o cinturão. Foto: Reprodução/Instagram @joannajedrzejczyk

Joanna Jedrzejczyk pode entrar para história no Ultimate se vencer a rival Valentina Shevchenko no evento co-principal do UFC 231. Além de quebrar uma hegemonia de três derrotas no muay thai, a polonesa deve ser a primeira lutadora da organização a conquistar dois cinturões em diferentes categorias de peso.

Jedrzejczyk conquistou o cinturão dos pesos palhas ao vencer Carla Esparza no UFC 185 em março de 2015. Ela permaneceu com o título da divisão por dois anos e realizou cinco defesas bem sucedidas. Entretanto a polonesa foi derrotada por Rose Namajunas em novembro de 2017 no UFC 217. Ela teve a chance de recuperar a cinta em abril deste ano no UFC Brooklyn, mas foi superada por ‘Thug’ novamente.

Em seu último compromisso, Joanna venceu Tecia Torres no UFC Calgary em julho deste ano. Antes disso, ela vinha de duas derrotas para a campeã da divisão, Rose Namajunas. A polonesa tem um cartel de 17 combates, com 15 triunfos e dois reveses na carreira.

Exército brasileiro em Toronto

A. Cowboy encerra a participação do Brasil. Foto: Divulgação / Twitter @ufc_Brasil

O Brasil vem com um time reforçado para o evento no Canadá. Serão seis atletas brazucas em 13 confrontos. No card principal, estarão Alex Cowboy e Thiago Marreta. No preliminar, completam o time Claudia Gadelha, Gilbert Durinho, Dhiego Lima e Carlos Diego Ferreira.

Diego Ferreira vai iniciar a participação brasileira no octógono em Toronto. O peso leve tentará manter a boa sequência e conquistar a terceira vitória consecutiva no Ultimate. Seu oponente foi trocado duas vezes, John Makdessi e Jesse Ronson. Com três dias para o evento a franquia convocou Kyle Nelson para enfrentar o manauara. O lutador tem um cartel com 15 lutas, sendo 13 triunfos e dois reveses.

Dhiego Lima tem sua permanência no Ultimate ameaçada, pois soma três derrotas consecutivas. O brasileiro vai medir forças com Chad Laprise pelos meio-médios. Em sua segunda passagem pela organização, o lutador já viveu uma situação semelhante em 2015, quando foi dispensado pela franquia. O goiano tem em sua carreira 19 combates, sendo 12 triunfos e sete reveses.

Gilbert Durinho estava escalado para encarar Olivier Aubin-Mercier no UFC Orlando, em fevereiro deste ano. No entanto a Comissão Atlética da Flórida vetou a participação do brasileiro, pois a perda de peso não era segura. Os pesos leves vão se enfrentar em busca do um lugar no TOP 15 da categoria. Durinho vem de uma derrota para Dan Hooker no UFC 226 em julho deste ano. O carioca tem 16 combates, com 13 triunfos e três reveses na carreira.

Encerrando a participação do Brasil e o card preliminar, Claudinha Gadelha mede forças com Nina Ansaroff pelos pesos palha. A potiguar vem de uma vitória apertada para Carla Esparza em junho deste ano. Aos 30 anos, a brasileira ocupa a terceira colocação no ranking da divisão. A lutadora soma 19 combates, com 16 triunfos e três reveses na carreira.

Abrindo o card principal, Thiago Marreta encara Jimi Manuwa pelos meio-pesados. O confronto estava marcado para ocorrer em São Paulo, mas devido a uma lesão o inglês foi substituído por Eryk Anders. O brasileiro venceu o norte-americano por nocaute no terceiro round. O carioca tem seis vitórias nas últimas sete lutas na organização.

Finalizando a atuação brasileira no Canadá, Alex Cowboy mede forças com Gunnar Nelson pelos meio-médios. Oliveira soma duas vitórias consecutivas sobre Carlos Condit e Carlo Pedersoli. Ele é o atual 13º colocado no ranking da categoria. O lutador tem 15 combates na carreira, sendo 19 triunfos, cinco reveses e um empate.

Ficha técnica do UFC 231

DATA E HORÁRIO: 08/12/2018, a partir das 21h(horário de Brasília)

LOCAL: Scotiabank Arena, Toronto (CAN)

TRANSMISSÃO: Canal Combate

Card Principal (1h, horário de Brasília)

Peso pena: Max Holloway x Brian Ortega

Peso mosca: Valentina Shevchenko x Joanna Jedrzejczyk

Peso meio-médio: Alex Cowboy x Gunnar Nelson

Peso pena: Hakeem Dawodu x Kyle Bochniak

Peso meio-pesado: Jimi Manuwa x Thiago Marreta

Card Preliminar (21h, horário de Brasília)

Peso palha: Cláudia Gadelha x Nina Ansaroff

Peso leve: Olivier Aubin-Mercier x Gilbert Durinho

Peso mosca: Katlyn Chookagian x Jessica Eye

Peso médio: Elias Theodorou x Eryk Anders

Peso galo: Brad Katona x Matthew Lopez

Peso meio-médio: Chad Laprise x Dhiego Lima

Peso leve: Carlos Diego Ferreira x Kyle Nelson

Peso meio-pesado: Devin Clark x Aleksandar Rakic

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário