Bisping choca o mundo, nocauteia Rockhold e fatura cinturão no UFC 199

Cruz domina Faber e defende cinturão dos galos; Henderson nocauteia Lombard e deixa aposentadoria no ar

Bisping é o novo campeão dos médios. Foto: Josh Hedges/UFC

Bisping é o novo campeão dos médios. Foto: Josh Hedges/UFC

Com uma trajetória de uma década no octógono, Michael Bisping sempre foi tachado de “porteiro” da divisão de pesos médios, por se manter no top-10 da categoria, mas nunca ter chegado a uma disputa de cinturão em sua carreira. Mas bastou que o britânico tivesse sua primeira chance pelo título, mesmo que com apenas duas semanas de preparação, para que ele chocasse o mundo do MMA, nocauteando o favoritíssimo Luke Rockhold para se tornar o novo campeão até 84 kg.

Veja Também

UFC 199: Jéssica Bate-Estaca atropela e genro de Ali empata no card preliminar
Oficial: Brock Lesnar volta ao octógono no UFC 200
Revanche entre McGregor e Diaz é oficializada para o UFC 202
Lenda Muhammad Ali morre aos 74 anos

Antes do triunfo de Bisping, o octógono do UFC 199, em Los Angeles (EUA), já havia visto o desfecho da trilogia entre Dominick Cruz e Urijah Faber, com o triunfo do atual campeão dos galos em decisão unânime dos jurados, e a impressionante reviravolta do vetaraníssimo Dan Henderson, que despachou o cubano Hector Lombard com um nocaute avassalador. Mas foi a improvável vitória do britânico, sem sombra de dúvidas, que marcou a noite na Califórnia.

Muito confiante, principalmente por já ter batido Bisping anteriormente, Luke Rockhold aparentou estar no octógono simplesmente esperando o momento de finalizar o combate. Porém, um resiliente Bisping soube capitalizar na primeira oportunidade que teve e, após acertar um cruzado no queixo que abalou o campeão, partiu pra cima e conectou outro golpe no mesmo local. Rockhold caiu desacordado nas grades, com os braços abaixados, e ainda levou mais um soco antes da interrupção do árbitro Big John McCarthy.

Extasiado por corar uma trajetória de dez anos no octógono com um improvável cinturão, Bisping descreveu a emoção de finalmente estar no topo do mundo do MMA. “Eu tenho que ser humilde aqui, mesmo contra um idiota. Eu comecei a lutar pois minha mãe me obrigava, eu não queria, mas no final das contas eu estou aqui. Eu sou um cara normal, mais do que um cara normal, mas eu estou aqui vivendo o sonho. Eu disse que ia ganhar esse cinturão, com duas semanas, dois dias ou duas horas de aviso”, garantiu.

O britânico ainda respondeu as provocações recorrentes sobre sua suposta falta de potência nas mãos. “Eu sei que eu posso socar, eu sei que tenho poder nas mãos. Eu quero agradecer à minha família e ao Reino Unido, esse é o maior dia da minha vida!”, concluiu.

Cruz vence no encerramento da trilogia com Faber

Dominick Cruz x Urijah Faber foi, durante muitos anos, a maior rivalidade do MMA mundial abaixo do peso leve. E agora, quando este embate for comentado na história do esporte, a vantagem no saldo de lutas será de Cruz. O atual campeão peso galo subiu ao octógono na luta co-principal do UFC 199 com seu habitual estilo, baseado na velocidade e movimentação, e não deu chances para Faber.

No primeiro assalto, Cruz começou com seu tradicional jogo de pernas, mas rapidamente os dois foram para um intenso jogo físico, de disputa do clinch e das quedas. Ao término do assalto, ao contrário do que é usual para ambos, os atletas foram para seus corners visivelmente ofegantes

Logo de cara no segundo round, Cruz conseguiu knockdown duríssimo, com um direto de esquerda, que abalou Faber. Daí em diante, os dois se preservaram – para um terceiro assalto que seria explosivo. No round intermediário, Cruz novamente levou a melhor, com combinações precisas e golpes retos que abalaram Faber, mas após o soar do gongo, os dois se esbarraram e tiveram um momento de desentendimento no centro do octógono.

Na quarta parcial, mais domínio de Cruz, que seguia se movimentando com leveza e acertando Faber com golpes duros. Na metade do round, o campeão conectou um direto que levou o rival à lona mais uma vez. Urijah, no entanto, manteve a calma e conseguiu se colocar de pé novamente, evitando um chute alto que poderia ser decisivo.

No quinto e decisivo assalto, o campeão apostou em uma estratégia mais calculista e se expôs pouco, buscando algumas quedas e controlando as costas de Faber, que até tentou uma última explosão visando o nocaute, mas sem sucesso. Ao término do combate, Cruz foi declarado vencedor em decisão unânime dos jurados.

Em seu discurso pós-luta, Cruz lembrou seu histórico de lesões e as dificuldades vividas para retornar ao cage. “Ele é duro, mas eu não estou surpreso. Ele não foi um campeão, e todo mundo sabe que eu estou pronto para cinco rounds. Eu não estava 100%, mas muita gente não sabe o que eu passei. Eu fiquei três anos parado, mas, olhando agora, parece que esse tempo fora não foi nada. Eu só estou feliz de estar aqui, poder competir e eu mantenho a fé em mim, nas minhas habilidades”, disse o campeão dos galos.

Hendo nocauteia e deixa aposentadoria no ar

Dan Henderson sempre foi conhecido por seu queixo duro e seu punho direito mais duro ainda. E na luta contra Hector Lombard, no card principal do UFC 199, o veterano de 45 anos mostrou exatamente suas duas principais características.

No primeiro assalto, Hendo aguentou um castigo duríssimo de Lombard, após sofrer um knockdown e suportar a pressão no ground and pound. No segundo round, Henderson ignorou o prejuízo sofrido, foi pra cima e, após ter um chute seu segurado por Hector, acertou o rival com uma cotovelada na têmpora do cubano, que caiu desmaiado.

Após o triunfo, Hendo falou sobre seu futuro e abriu as portas para uma eventual aposentadoria.”Ele é um cara muito perigoso. Eu fiquei em perigo no primeiro round, eu senti que ele estava vindo com muita força, mas consegui passar pela tempestade e superei. Essa energia extra que o público me deu, é algo que eu agradeço muito. Ele é um cara duro, mas eu me sinto muito bem agora! Essa foi a primeira luta que todos os meus filhos estiveram aqui pra me ver, eu não vou garantir nada, vou ver o que vai acontecer, mas essa pode ter sido minha última luta”, assegurou.

Confira abaixo os resultados do UFC 199:

CARD PRINCIPAL

Michael Bisping nocauteou Luke Rockhold aos 3m36 do R1

Dominick Cruz derrotou Urijah Faber em decisão unânime dos jurados (50×45, 50×45 e 49×46)

Max Holloway derrotou Ricardo Lamas em decisão unânime dos jurados (30×27, 30×27 e 30×27)

Dan Henderson derrotou Hector Lombard por nocaute (cotovelada) a 1m27 do R2

Dustin Poirier derrotou Bobby Green por nocaute (soco) aos 2m53 do R1

CARD PRELIMINAR

Brian Ortega derrotou Clay Guida por nocaute (joelhada) aos 4m40 do R3

Beneil Dariush derrotou James Vick por nocaute (soco) aos 4m16 do R1

Jéssica Bate-Estaca derrotou Jessica Penne por nocaute (socos) aos 2m56 do R2

Alex Caceres derrotou Cole Miller em decisão unânime dos jurados (29×28, 29×28 e 30×27)

Sean Strickland derrotou Tom Breese em decisão dividida dos jurados (29×28, 28×29 e 29×28)

Luiz Henrique ‘Frankenstein’ derrotou Jonathan Wilson por nocaute (socos) aos 4m11s do R2

Kevin Casey empataram Elvis Mutapcic em decisão dividida dos juízes (28×28, 29×28 e 28×29)

Polo Reyes derrotou Dong Hyun Kim por nocaute (socos) a 1m52 do R3

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments