Cinco motivos para assistir ao UFC Brasília, com Charles do Bronx e mais 11 brasileiros no card

Com 12 lutas confirmadas, Ultimate realiza o primeiro evento em território tupiniquim no ano com Charles do Bronx x Kevin Lee na luta principal

K. Lee (esq.) e C. Do Bronx (dir.) se encaram antes do UFC Brasília. Foto: Reprodução/Instagram @ufc_brasil

Em cenário atípico, sem a presença da inflamada torcida brasileira, o Ultimate chega ao Brasil para seu primeiro espetáculo em 2020. O UFC Brasília será realizado com portões fechados em medida preventiva pela pandemia do coronavírus. A empresa levará aos fãs de MMA 12 lutas que prometem agitar a tarde de sábado.

Veja Também

Johnny Walker aposta em nocaute sobre Nikita Krylov no UFC Brasília, neste sábado
Bellator 241 é cancelado de última hora em prevenção ao coronavírus
Do Bronx tenta encerrar sina de atletas derrotados ao aceitarem manter luta contra rivais que não bateram peso

Com início às 16h (horário de Brasília), 12 combatentes representarão a torcida tupiniquim e tentarão suas vitórias para seguirem buscando o topo de suas divisões.

Na luta principal, Charles do Bronx vai enfrentar Kevin Lee, em seu maior desafio no UFC até o momento. Em grande fase, o atleta busca encostar na elite da divisão dos leves.

No combate que antecede a última apresentação, uma disputa que dividirá o país. Gilbert Durinho enfrentará o icônico Demian Maia em uma peleja que tem tudo para agitar os ânimos dos espectadores.

Para entrar no clima, nossa equipe selecionou cinco motivos para acompanhar o UFC Brasília. Confira:

1) Do Bronx e o sonho de chegar à elite dos leves

C. Do Bronx vai lutar luta no UFC Brasília. Foto: Reprodução / Twitter @ufc

Em grande fase na carreira, Charles do Bronx está próximo de enfrentar um dos desafios mais duros em sua trajetória no Ultimate. Vindo de seis vitórias consecutivas, o paulista terá a oportunidade de encostar de vez na elite da divisão dos leves, mas, para isso, deverá passar por Kevin Lee.

Além de enfrentar um grande oponente, o brasileiro terá o dever de superar um rival que chegará mais pesado no confronto, já que o norte-americano falhou no corte de peso na última sexta-feira (13), e subirá ao octógono com vantagem física.

Do Bronx, no entanto, deverá mostrar que está pronto para superar as adversidades e provar que, de fato, tem condições de atuar contra os melhores da categoria. Caso vença Kevin, o brasileiro se aproximará do top 5 e poderá vislumbrar uma futura chance de lutar pelo cinturão.

2) Durinho x Maia: o Brasil dividido em duelo de lendas do jiu-jitsu

G. Durinho (dir.) encara D. Maia (esq.) no UFC Brasília. Foto: Reprodução/Instagram @ufc_brasil

A luta co-principal da noite certamente será uma das mais aguardadas do evento, pois, além de se tratar de dois grandes nomes do UFC, a disputa marcará o encontro de dois brasileiros conhecidos por suas excelências no jiu-jitsu.

Demian Maia dispensa comentários. O brasileiro é famoso por ter protagonizado uma das melhores migrações da ‘arte suave’ para o MMA. Com duas disputas de cinturão no currículo, o paulista de 42 anos segue atuando em alto nível e adiando a aposentadoria.

Recém-chegado à divisão dos meio-médios (até 77kg.), Gilbert Durinho vive uma das melhores fases da sua carreira. Com duas vitórias imponentes desde que retornou à categoria dominada por Kamaru Usman, o niteroiense segue com o desejo de se manter ativo e enfrentando os melhores de seu grupo. O duelo contra Maia foi um pedido pessoal atendido pelo Ultimate. Um triunfo sobre o compatriota pode representar um salto significativo de Durinho na divisão, já que Demian, hoje, figura na quinta posição.

3) O retorno de Johnny Walker

J. Walker (esq.) encara N. Krylov (dir.) no UFC Brasília. Foto: Reprodução/Instagram @ufc_brasil

O brasileiro Johnny Walker foi do céu ao inferno em apenas um ano atuando pelo Ultimate. Dono de um estilo de luta agressivo e despojado, o atleta brilhou em suas três primeiras apresentações pela empresa, quando nocauteou seus oponentes de forma meteórica.

Rapidamente Johnny caiu nas graças dos fãs. Com personalidade forte e performances seguras, o atleta logo entrou no radar da empresa e surgia como possível nome para desafiar Jon Jones pelo cinturão dos meio-médios. Walker, no entanto, falhou na primeira oportunidade em que foi escalado para lutar contra um combatente da elite da categoria.

Em novembro do ano passado, pelo UFC 244, o brasileiro subiu ao octógono para enfrentar Corey Anderson. Contra o norte-americano, no entanto, o lutador de Belford Roxo (RJ), não conseguiu repetir as boas atuações e acabou nocauteado no primeiro round. A partir daí, Walker passou a ser alvo de críticas em relação ao seu desempenho.

Neste sábado, contra Nikita Krylov, o brasileiro terá a oportunidade de provar que a derrota ficou no passado e que sua confiança está restabelecida.

4) Jussier Formiga e o sonho do cinturão

J. Formiga em vitória pelo UFC. Foto: Reprodução/Instagram @UFC

Entre os 24 atletas que se apresentarão neste final de semana, Jussier Formiga é, talvez, o combatente que tenha mais responsabilidade. Terceiro no ranking dos moscas (até 56,7kg.) o brasileiro enfrenta Brandon Moreno por uma chance de se credenciar a atuar pelo cinturão da divisão.

O atleta esteve próximo da oportunidade quando enfrentou Joseph Benavidez, em junho do ano passado, pelo UFC Minneapolis. No entanto, o potiguar acabou nocauteado pelo norte-americano, que viria a disputar o posto de número um em seu compromisso seguinte.

‘Joe’ atuou pelo cinturão em 29 de fevereiro, mas acabou derrotado por Deiveson Figueiredo. O paraense, porém, não pôde ficar com o cinturão por ter falhado no corte de peso para a disputa.

Formiga carrega consigo a vantagem de ter sido o primeiro e último homem a derrotar Figueiredo, e combate realizado em março do ano passado. Portanto, um triunfo sobre Moreno pode colocar Jussier próximo do título.

5) Amanda Ribas e a invencibilidade no UFC

A. Ribas (esq.) encara R. Markos (dir.) no UFC Brasília. Foto: Reprodução/Instagram @ufc_brasil

Depois de estrear com vitória contra Emily Whitmire e desbancar a promissora Mackenzie Dern, Amanda Ribas confirmou que chegou ao Ultimate para ficar. A atleta tem compromisso marcado contra Randa Markos neste final de semana e busca mais um resultado positivo para encostar na elite da categoria que hoje é dominada por Weili Zhang.

Com 26 anos e nove apresentações como profissional no MMA, a mineira espera manter o cartel invicto no Ultimate e realizar um bom desempenho diante da canadense, que também vem de vitória.

Ficha técnica do UFC Brasília

DIA: 14 de março de 2020

HORA: A partir das 16h (horário de Brasília)

LOCAL: Ginásio Nilson Nelson, Brasília, Brasil

COMO ASSISTIRSUPER LUTAS (as duas primeiras lutas AO VIVO) e canal Combate (todo o card)

CARD PRINCIPAL (19h, horário de Brasília)

Peso leve (até 70,3kg.): Kevin Lee x Charles do Bronx

Peso meio-médio (até 77kg.): Demian Maia x Gilbert Durinho

Peso leve (até 70,3kg.): Renato Moicano x Damir Hadzovic

Peso meio-pesado (até 93kg.): Johnny Walker x Nikita Krylov

Peso leve (até 70,3kg.): Francisco Massaranduba x John Makdessi

CARD PRELIMINAR (16h, horário de Brasília)

Peso mosca (até 56,7kg.): Jussier Formiga x Brandon Moreno

Peso palha (até 52,1kg.): Amanda Ribas x Randa Markos

Peso meio-médio (até 77kg.): Elizeu Capoeira x Alexei Kunchenko

Peso galo (até 61,2kg.): Rani Yahya x Enrique Barzola

Peso mosca (até 56,7kg.): Mayra Sheetara x Maryna Moroz

Peso mosca (até 56,7kg.): Bruno Bulldoguinho x David Dvorak

Peso galo (até 61,2kg.): Veronica Macedo x Bea Malecki

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments