Assistir UFC Brasília, com Charles do Bronx comandando o esquadrão brasileiro | SUPER LUTAS

Cinco motivos para assistir ao UFC Brasília, com Charles do Bronx e mais 11 brasileiros no card

Com 12 lutas confirmadas, Ultimate realiza o primeiro evento em território tupiniquim no ano com Charles do Bronx x Kevin Lee na luta principal

K. Lee (esq.) e C. Do Bronx (dir.) se encaram antes do UFC Brasília. Foto: Reprodução/Instagram @ufc_brasil

Em cenário atípico, sem a presença da inflamada torcida brasileira, o Ultimate chega ao Brasil para seu primeiro espetáculo em 2020. O UFC Brasília será realizado com portões fechados em medida preventiva pela pandemia do coronavírus. A empresa levará aos fãs de MMA 12 lutas que prometem agitar a tarde de sábado.

Veja Também

Com início às 16h (horário de Brasília), 12 combatentes representarão a torcida tupiniquim e tentarão suas vitórias para seguirem buscando o topo de suas divisões.

Na luta principal, Charles do Bronx vai enfrentar Kevin Lee, em seu maior desafio no UFC até o momento. Em grande fase, o atleta busca encostar na elite da divisão dos leves.

No combate que antecede a última apresentação, uma disputa que dividirá o país. Gilbert Durinho enfrentará o icônico Demian Maia em uma peleja que tem tudo para agitar os ânimos dos espectadores.

Para entrar no clima, nossa equipe selecionou cinco motivos para acompanhar o UFC Brasília. Confira:

1) Do Bronx e o sonho de chegar à elite dos leves

C. Do Bronx vai lutar luta no UFC Brasília. Foto: Reprodução / Twitter @ufc

Em grande fase na carreira, Charles do Bronx está próximo de enfrentar um dos desafios mais duros em sua trajetória no Ultimate. Vindo de seis vitórias consecutivas, o paulista terá a oportunidade de encostar de vez na elite da divisão dos leves, mas, para isso, deverá passar por Kevin Lee.

Além de enfrentar um grande oponente, o brasileiro terá o dever de superar um rival que chegará mais pesado no confronto, já que o norte-americano falhou no corte de peso na última sexta-feira (13), e subirá ao octógono com vantagem física.

Do Bronx, no entanto, deverá mostrar que está pronto para superar as adversidades e provar que, de fato, tem condições de atuar contra os melhores da categoria. Caso vença Kevin, o brasileiro se aproximará do top 5 e poderá vislumbrar uma futura chance de lutar pelo cinturão.

2) Durinho x Maia: o Brasil dividido em duelo de lendas do jiu-jitsu

G. Durinho (dir.) encara D. Maia (esq.) no UFC Brasília. Foto: Reprodução/Instagram @ufc_brasil

A luta co-principal da noite certamente será uma das mais aguardadas do evento, pois, além de se tratar de dois grandes nomes do UFC, a disputa marcará o encontro de dois brasileiros conhecidos por suas excelências no jiu-jitsu.

Demian Maia dispensa comentários. O brasileiro é famoso por ter protagonizado uma das melhores migrações da ‘arte suave’ para o MMA. Com duas disputas de cinturão no currículo, o paulista de 42 anos segue atuando em alto nível e adiando a aposentadoria.

Recém-chegado à divisão dos meio-médios (até 77kg.), Gilbert Durinho vive uma das melhores fases da sua carreira. Com duas vitórias imponentes desde que retornou à categoria dominada por Kamaru Usman, o niteroiense segue com o desejo de se manter ativo e enfrentando os melhores de seu grupo. O duelo contra Maia foi um pedido pessoal atendido pelo Ultimate. Um triunfo sobre o compatriota pode representar um salto significativo de Durinho na divisão, já que Demian, hoje, figura na quinta posição.

3) O retorno de Johnny Walker

J. Walker (esq.) encara N. Krylov (dir.) no UFC Brasília. Foto: Reprodução/Instagram @ufc_brasil

O brasileiro Johnny Walker foi do céu ao inferno em apenas um ano atuando pelo Ultimate. Dono de um estilo de luta agressivo e despojado, o atleta brilhou em suas três primeiras apresentações pela empresa, quando nocauteou seus oponentes de forma meteórica.

Rapidamente Johnny caiu nas graças dos fãs. Com personalidade forte e performances seguras, o atleta logo entrou no radar da empresa e surgia como possível nome para desafiar Jon Jones pelo cinturão dos meio-médios. Walker, no entanto, falhou na primeira oportunidade em que foi escalado para lutar contra um combatente da elite da categoria.

Em novembro do ano passado, pelo UFC 244, o brasileiro subiu ao octógono para enfrentar Corey Anderson. Contra o norte-americano, no entanto, o lutador de Belford Roxo (RJ), não conseguiu repetir as boas atuações e acabou nocauteado no primeiro round. A partir daí, Walker passou a ser alvo de críticas em relação ao seu desempenho.

Neste sábado, contra Nikita Krylov, o brasileiro terá a oportunidade de provar que a derrota ficou no passado e que sua confiança está restabelecida.

4) Jussier Formiga e o sonho do cinturão

J. Formiga em vitória pelo UFC. Foto: Reprodução/Instagram @UFC

Entre os 24 atletas que se apresentarão neste final de semana, Jussier Formiga é, talvez, o combatente que tenha mais responsabilidade. Terceiro no ranking dos moscas (até 56,7kg.) o brasileiro enfrenta Brandon Moreno por uma chance de se credenciar a atuar pelo cinturão da divisão.

O atleta esteve próximo da oportunidade quando enfrentou Joseph Benavidez, em junho do ano passado, pelo UFC Minneapolis. No entanto, o potiguar acabou nocauteado pelo norte-americano, que viria a disputar o posto de número um em seu compromisso seguinte.

‘Joe’ atuou pelo cinturão em 29 de fevereiro, mas acabou derrotado por Deiveson Figueiredo. O paraense, porém, não pôde ficar com o cinturão por ter falhado no corte de peso para a disputa.

Formiga carrega consigo a vantagem de ter sido o primeiro e último homem a derrotar Figueiredo, e combate realizado em março do ano passado. Portanto, um triunfo sobre Moreno pode colocar Jussier próximo do título.

5) Amanda Ribas e a invencibilidade no UFC

A. Ribas (esq.) encara R. Markos (dir.) no UFC Brasília. Foto: Reprodução/Instagram @ufc_brasil

Depois de estrear com vitória contra Emily Whitmire e desbancar a promissora Mackenzie Dern, Amanda Ribas confirmou que chegou ao Ultimate para ficar. A atleta tem compromisso marcado contra Randa Markos neste final de semana e busca mais um resultado positivo para encostar na elite da categoria que hoje é dominada por Weili Zhang.

Com 26 anos e nove apresentações como profissional no MMA, a mineira espera manter o cartel invicto no Ultimate e realizar um bom desempenho diante da canadense, que também vem de vitória.

Ficha técnica do UFC Brasília

DIA: 14 de março de 2020

HORA: A partir das 16h (horário de Brasília)

LOCAL: Ginásio Nilson Nelson, Brasília, Brasil

COMO ASSISTIRSUPER LUTAS (as duas primeiras lutas AO VIVO) e canal Combate (todo o card)

CARD PRINCIPAL (19h, horário de Brasília)

Peso leve (até 70,3kg.): Kevin Lee x Charles do Bronx

Peso meio-médio (até 77kg.): Demian Maia x Gilbert Durinho

Peso leve (até 70,3kg.): Renato Moicano x Damir Hadzovic

Peso meio-pesado (até 93kg.): Johnny Walker x Nikita Krylov

Peso leve (até 70,3kg.): Francisco Massaranduba x John Makdessi

CARD PRELIMINAR (16h, horário de Brasília)

Peso mosca (até 56,7kg.): Jussier Formiga x Brandon Moreno

Peso palha (até 52,1kg.): Amanda Ribas x Randa Markos

Peso meio-médio (até 77kg.): Elizeu Capoeira x Alexei Kunchenko

Peso galo (até 61,2kg.): Rani Yahya x Enrique Barzola

Peso mosca (até 56,7kg.): Mayra Sheetara x Maryna Moroz

Peso mosca (até 56,7kg.): Bruno Bulldoguinho x David Dvorak

Peso galo (até 61,2kg.): Veronica Macedo x Bea Malecki

A queda do ‘Império Pitbull’ no Bellator e a prévia para o UFC 265

Comentários

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments