Sinal amarelo para Karolina Kowalkiewicz… Veja as piores sequências sem vitórias de lutadores na história do UFC

Polonesa, que não vence desde abril de 2018, tem chances de aliviar situação na carreira e mede forças contra Felice Herrig no UFC Vegas 56

K. Kowalkiewicz retorna neste sábado, no UFC Vegas 56. Foto: Reprodução / Facebook @ufc

O MMA costuma a trazer grandes emoções aos fãs dos esportes de combate e é marcado por ser um tipo de competição individual em que apenas um lutador sai vitorioso. Porém, na história do UFC, grandes atletas tiveram longos períodos sem terem seus ‘braços levantados’ e ficaram marcados negativamente por tais marcas.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Karolina Kowalkiewicz, que não vence desde abril de 2018 e coleciona cinco derrota seguidas, já é uma das lutadoras com piores sequências da história da organização. A polonesa, no entanto, tem a chance de aliviar sua situação contra Felice Herrig no UFC Las Vegas 56, evento que acontece no próximo sábado (4).

Pensando nisso, a equipe do SUPER LUTAS reuniu outros quatro expressivos lutadores – além de Karolina – que passaram por momentos ruins em suas trajetórias no Ultimate. A lista conta com BJ Penn, Sam Alvey, Hector Lombard e Renan Barão.

PUBLICIDADE:

BJ Penn (sete)

BJ (foto) tem a pior sequência da história do UFC. Foto: Josh Hedges/UFC

Lenda do MMA e um dos maiores nomes da história dos leves (até 70,3kg.), BJ Penn teve final de passagem para esquecer no Ultimate. Em novembro de 2010, o havaiano venceu pela última vez ao superar Hatt Hughes em grande e importante luta dos meio-médios (até 77kg.).

PUBLICIDADE:

Depois de perder para Nick Diaz na apresentação seguinte, Penn surpreendeu ao anunciar uma suposta aposentadoria, que durou apenas um ano. Então, o lutador voltou e foi superado por mais seis vezes em um nível de competição ainda menor, em busca de apenas mais uma vitória – que não aconteceu.

PUBLICIDADE:

Além da fase ruim no octógono, BJ também viu seu nome ventilado em polêmicas fora dele e chegou a se envolver em discussões e brigas em bares de seu país, assim sendo seu rompimento com o Ultimate e término da carreira. Ele, agora, concorre ao Governo do Havaí em eleições de 2022.

Sam Alvey (sete)

W. Turman derrotou S. Alvey na decisão dos juízes. Foto: Reprodução/Instagram

Conhecido pelo apelido de ‘Smiling’ – sorriso, em tradução livre – por seus momentos alegres dentro e fora do octógono, Sam Alvey tem poucos motivos para se sentir contente no UFC. Participante da 16ª temporada do ‘The Ultimate Fighter’, o lutador assinou com a organização depois de passagem pelo reality show e conseguiu boas atuações, com destaque para um resultado positivo contra o ex-campeão Rashad Evans.

O bom momento, porém, acabou nas mãos de Minotouro Nogueira, que dava início ao norte-americano por uma das piores sequências no esporte. Desde então, Alvey embarcou em uma sequência de sete derrotas seguidas, incluindo desempenhos ruins contra promessas das divisões dos médios (até 83,9kg.) e meio-pesados (até 93kg.). Ele anunciou um hiato na carreira e, ainda assim, não foi demitido da organização de Dana White.

Hector Lombard (seis)

Lombard teve passagem sem brilho no UFC. (Foto:Jeff Bottari/UFC)

Dono de um poder de nocaute arrasador e grande agressividade em seus combates, Hector Lombard assinou com o UFC à peso de ouro. Ex-campeão do Bellator, o cubano era, na ocasião, o ‘homem para bater Anderson Silva’, que reinava nos médios (até 83,9kg.). Porém, ele não conseguiu manter o nível de atuação de outras franquias ao ingressar no Ultimate.

No período entre março de 2016 a setembro de 2018, Lombard não conseguiu vencer sequer uma luta, tendo sido nocauteado por Dan Henderson, Anthony Smith e Neil Magny, além de perder para Johny Hendricks, Thales Leites e CB Dollaway antes de ser demitido da empresa.

Renan Barão (cinco)

Sanders vence Barão. Foto:. Reprodução / Instagram @ufc

Renan Barão é, inevitavelmente, um dos maiores casos de quedas repentinas nas artes marciais mistas. Grande nome dos galos (até 61,2kg.), o brasileiro era campeão do UFC e chegou a emplacar 31 vitórias seguidas na carreira, mas nunca manteve o mesmo nível de atuação depois de perder para TJ Dillashaw, em maio de 2014.

Barão teve uma derrota para Jeremy Stephens e se recuperou contra Philipe Nover, mas viu sua trajetória final no UFC acabar de forma melancólica e com sequência de cinco reveses em série, contra nomes como Aljamain Sterling – que viria a se tornar campeão, posteriormente -, Brian Kelleher, Andre Ewell, Luke Sanders e Douglas D’Silva. Ele volta às competições após quase três anos sem competir em combate contra William Gomis no Ares FC.

Karolina Kowalkiewicz (cinco)

K. Kowalkiewicz não vence desde 2018.
Foto: Reprodução/Instagram

Ex-desafiante ao cinturão das palhas (até 52,1kg.), Karolina Kowalkiewicz despontou como uma grande promessa do Ultimate depois de passagem invicta pelo evento polonês ‘KSW’. Ela, no entanto, ‘bateu na trave’, parou em Joanna Jedrzejczyk na decisão unânime dos juízes e nunca conseguiu se reerguer na organização.

Desta vez, é a grande chance para Kowalkiewicz sair da incômoda série de cinco derrotas seguidas, quando ela encara Felice Herrig no encerramento do card preliminar. Sem atuar desde agosto de 2021, a polonesa perdeu para Jéssica Bate-Estaca, Michelle Waterson, Alexa Grasso, Yan Xiaonan e Jessica Penne em suas lutas mais recentes e soma um cartel de 12 triunfos e sete reveses.

Outros renomados atletas que tiveram cinco derrotas seguidas no Ultimate: Donald Cerrone, Carlos Condit, Andrei Arlovski e Josh Koscheck

Podcast #68: Adesanya, Poatan e Volkanovski: Tudo sobre o UFC 276